Escolha as suas informações

Harvey Weinstein chega a acordo para pagar 40 milhões de dólares às vítimas
Cultura 2 min. 24.05.2019

Harvey Weinstein chega a acordo para pagar 40 milhões de dólares às vítimas

Harvey Weinstein chega a acordo para pagar 40 milhões de dólares às vítimas

Foto: Shutterstock
Cultura 2 min. 24.05.2019

Harvey Weinstein chega a acordo para pagar 40 milhões de dólares às vítimas

Caso que envolve o popular produtor norte-americano originou o movimento feminista #MeToo.

Harvey Weinstein, o popular produtor de Hollywood terá chegado a acordo de cerca de 40 milhões de euros (44 milhões de dólares) que anula os processos judiciais de que era alvo em Nova Iorque. Segundo conta o jornal The New York Times, o dinheiro será distribuído entre as alegadas vítimas de Weinstein e credores e antigos trabalhadores da produtora de cinema que dirigia.

O escândalo relacionado com o comportamento sexual abusivo que terá mantido durante décadas, sobretudo com mulheres, rebentou em 2017e e originou o movimento feminista #MeToo, que encorajou milhões de mulheres vîtimas a denunciarem comportamentos semelhantes. Mais de 80 mulheres vieram a público denunciar comportamentos inapropriados e excêntricos, que envolvem assédio sexual por parte do empresário, uma "violação civil e não criminal", escreve o jornal americano.

Apesar de continuar a negar todas as acusações, caso o acordo se concretize, pode estar subjacente uma admissão de culpa por parte do próprio, o que significa uma "vitória" para as mulheres envolvidas nos acontecimentos. Mas, por enquanto, ainda não foram divulgados mais detalhes. Weinstein continuará, no entanto, a ser julgado num outro processo por violência sexual a duas mulheres, acrescenta o The New York Times. O julgamento está previsto para 9 de setembro deste ano. 

Enquanto aguardo pelo veredicto o produtor continuará em liberdade. Apesar de o próprio se ter entregue às autoridades em maio de 2018, foi libertado após o pagamento de uma fiança de um milhão de dólares (cerca de 890 mil euros). Apesar de ter admitido ter tido comportamentos impróprios com mulheres ao longo dos anos, continua a negar as acusações de violação. Na altura anunciou também que iria recorrer a ajuda médica. 

Desde o início do movimento #MeToo, em que Harvey foi um dos motivadores, a sua empresa "Weinstein Company" caiu em falência. O próprio Weinstein caiu em desgraça, tendo sido expulso da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pelos famosos prémios de cinema de Hollywood, os Óscares.

As atrizes Meryl Streep, Kate Winslet, Judi Dench e Jennifer Lawrence foram algumas das personalidades do mundo cinematográfico que condenaram publicamente o produtor.

Ana Patrícia Cardoso 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas