Escolha as suas informações

Festival de Cinema Português abre com "Peregrinação"

Festival de Cinema Português abre com "Peregrinação"

Foto: Nuno Almeida/Lusa
Cultura 4 min. 09.11.2018

Festival de Cinema Português abre com "Peregrinação"

Vanessa CASTANHEIRA
Dez filmes, dois deles sem terem ainda estreado em Portugal ("Carga" e "O Grande Circo Místico") e cinco convidados marcam o programa do certame que vai decorrer de 16 a 25 de novembro.

"Peregrinação" de Fernão Mendes Pinto é tido como o primeiro bestseller português. O livro de viagens retraça as peripécias do próprio escritor, que foi também soldado, escravo, embaixador mas sobretudo viajante e sobrevivente no Oriente. Estava-se no século XVI quando Mendes Pinto escreveu a obra que seria editada em seis línguas diferentes nos 100 anos seguintes às aventuras e desventuras e que se tornou numa obra de referência da literatura portuguesa. E é com esta adaptação cinematográfica de João Botelho que arranca o Festival de Cinema Português, marcado para decorrer de 16 a 25 de novembro em quatro salas da cidade do Luxemburgo.

"É o mais recente filme de Botelho, que aborda um tema importante da nossa cultura e é candidato aos Óscares", explica Adília Carvalho, diretora do Centro Cultural Português, entidade responsável pela organização do festival. O ator Marcelo Urgeghe estará presente na sessão de abertura.

"Peregrinação" é apenas um dos três filmes de João Botelho no certame. Outra presença é o "Filme do Desassossego", uma das adaptações mais arriscadas e audazes do realizador. "Botelho é um cineasta que retrata a literatura portuguesa e 'Livro do Desassossego' vem nesse sentido, como 'Os Maias'", diz Adília Carvalho para justificar esta escolha. De recordar que a par desta projeção vai estar em cena a peça "Intranquillités – suite pour âmes perdus", encenada por Rita dos Reis, no Teatro Municipal de Esch-sur-Alzette, nos dias 14,17 e 18 deste mês. Fernando Pessoa continua e continuará a ser um marco da poesia e um dos poetas que maior curiosidade criam em todo o género de públicos. O festival homenageia aqui Botelho, quando o próprio já estava a homenagear Pessoa.


"A Peregrinação" de João Botelho candidato a nomeados aos Óscares e Goya
O filme foi eleito pela Academia Portuguesa de Cinema para ser o candidato de Portugal aos Óscares e Prémios Goya de 2019.

O terceiro e último filme de Botelho no certame é um documentário: "O cinema, Manoel de Oliveira e eu"."Mais uma vez procurámos filmes atuais e que mantivessem as homenagens à cultura portuguesa", indica a programadora. "Al Berto" é o segundo filme da trilogia que Vicente Alves do Ó dedica aos poetas portugueses. Com um cinema mais ficcionado, o realizador dá a conhecer a história do poeta que assentou arraiais em Sines, na década de 70, no pós-25 de Abril, retratando uma geração que viveu a liberdade.

Entretanto, Sara Sampaio, a modelo portuguesa de maior reconhecimento internacional e uma das angels de uma marca de lingerie, não vem ao Luxemburgo, mas o filme em que participa estará por cá. "Carga", que estreia dia 8 em Portugal, chega ao festival como um dos filmes mais esperados. Trata-se de um thriller que aborda o tráfico humano em Portugal. Realizado por Bruno Gascon, este filme faz-nos refletir com a frase "podias ser tu".


Sara Sampaio no Grão-Ducado?
Vamos poder ver a top model, sem asas, no filme "Carga" que passa no Festival de Cinema Português no Luxemburgo. Um acontecimento com outras descobertas, como a "Peregrinação" de João Botelho.

"José e Pilar", o documentário sobre a vida de Saramago, chega "no âmbito dos 20 anos da atribuição do Nobel ao escritor", revela Adília de Carvalho. "Soldado milhões" é um dos grandes êxitos deste ano nas salas de cinema portuguesas e conta a história de Aníbal Augusto Milhais, mas podia ser a história de milhares de soldados portugueses que combateram na I Guerra Mundial, conflito que terminou há 100 anos. No quadro desta projeção estará presente Miguel Bandeira Jerónimo, professor na Universidade de Coimbra.

Em tom de comédia "ao gosto do público" está presente "Ramiro", também de 2017. Esta edição do Festival de Cinema Português vai encerrar com "O Grande Circo Místico", que passou no Festival de Cannes e arrebatou os cinéfilos. Realizado pelo brasileiro Cacá Diegues, mas com coprodução portuguesa, o romance conta a história de amor entre um aristocrata e uma acrobata por entre o quotidiano do que já foi considerado o maior espetáculo do mundo. O filme só chegará às salas portuguesas em janeiro de 2019.

Outra novidade do festival é o MOTELX, Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que apresenta sete curtas, trazendo ao Luxemburgo como convidados a atriz e realizadora São José Correia e o realizador Gonçalo Almeida. As sessões no Centro Cultural Camões e no Utopia são gratuitas. Na Cinemateca e no Kinepolis estão sujeitas aos preços habituais. 



Programa:

  • Dia 16, às 19h, na Cinemateca“Peregrinação”, de João Botelho, com a presença do ator Marcello Urgeghe.
  • Dia 17, às 17h, no Centro Cultural Português“O Cinema, Manoel de Oliveira e eu”, de João Botelho, com a presença do ator Marcello Urgeghe.
  • Dia 18, às 19h, no Utopia“Al Berto”, de Vicente Alves do Ó.
  • Dia 19, às 18h30, na Cinemateca“Filme do Desassossego”, de João Botelho, com a presença da encenadora Rita Reis.
  • Dia 20, às 19, no Kinepolis“Carga”, de Bruno Gascon.Dia 21, às 19h, no Utopia“Soldado Milhões”, com a presença do Professor Miguel Bandeira Jerónimo.
  • Dia 22, às 19h, no Utopia“José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes.
  • Dia 23, às 18h30, no Centro Cultural Português, Motel X: sete curtas de terror.
  • Dia 24, às 19h, Utopia“Ramiro”, de Manuel Mozos.
  • Dia 25, às 18h, na Cinemateca“O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues.

Notícias relacionadas

Festival de Cannes: Entre palhaços e futebolistas
O meu “coup de coeur” de Cannes é até agora um filme luso-brasileiro. A única longa metragem portuguesa na seleção oficial é um belíssimo filme do brasileiro Cacá Diegues: “O Grande Circo Místico”.
Vincent Cassel, o francês mais brasileiro da Sétima Arte, em “O Grande Circo Místico”.
CINEMA: A nossa seleção em Cannes
Portugal voltou a não estar na competição oficial do festival de cinema de Cannes em 2017. Até aqui nada de novo: o nosso país raramente teve acesso ao lote de uma vintena de filmes que disputam a Palma de Ouro.
Le réalisateur portugais Pedro Pinho à Cannes