Escolha as suas informações

Luxemburgo concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes
Cultura 1 06.07.2021
Festival de cinema

Luxemburgo concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes

Festival de cinema

Luxemburgo concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes

AFP
Cultura 1 06.07.2021
Festival de cinema

Luxemburgo concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
O 74º Festival de Cinema de Cannes arranca esta terça-feira e o Grão-Ducado concorre à Palma de Ouro com "Les Intranquilles". Duas produções de animação também serão apresentadas fora da competição.

Após o hiato de um ano, devido à pandemia de covid-19, o Festival de Cinema de Cannes está de volta esta terça-feira e vai durar até 17 de julho. A passadeira vermelha será estendida mas o formato do certame estará adaptado às restrições sanitárias por causa da covid-19. Ainda assim, a pompa e glamour estão de volta e os prémios também. E o Luxemburgo marca presença. Este ano, são três filmes - duas animações - que rumaram a França para representar o país. 

Na competição principal está a coprodução luxemburguesa "Les Intranquilles", do  realizador Joachim Lafosse, produzida pela Samsa FIlm e produtoras  belgas e francesas. O filme trata o drama de um casal que lida com o transtorno bipolar de um deles e é protagonizado por Leïla Bekhti e Damien Bonnard. Será exibido no dia 16 de julho e concorre com outras 23 obras à Palma de Ouro, entre elas, "The French Dispatch" de Wes Anderson, "Everything was well" de François Ozon, ou "Benedetta" de Paul Verhoeven. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Outra produção da Samsa Film também foi a Cannes, mas fora da competição. É a animação "Where is Anne Frank?", do israelita Ari Folman, o mesmo realizador de "Valsa com Bashir", 2008. 

O terceiro filme luxemburguês - outra animação - é "Le Sommet des Dieux", uma adaptação do mangá homónimo de Jirô Taniguchi. Foi coproduzido pela Mélusine Production e realizado por Patrick Imbert, que também realizou o filme de animação "Le Grand Méchant Renard et autres contes".  

"Le Sommet des Dieux"
"Le Sommet des Dieux"
Bild: Melusine Productions

O presidente do Júri deste ano é o realizador norte-americano Spike Lee,  o primeiro negro a ocupar esse papel na história do festival. 

Foto: AFP


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Julia Ducournau é a segunda mulher a receber a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes depois de Jane Campion, galardoada pelo filme “The Piano”, em 1993, e ex aequo com o chinês Chen Kaige por “Adieu ma concubine”.
O meu “coup de coeur” de Cannes do festival foi para um filme luso-brasileiro chamado “O Grande Circo Místico”. Aliás, Portugal e Brasil andaram de mãos dadas nesta edição do (ainda) maior festival de cinema do mundo.
Terry Gilliam, o Dom Quixote do Festival de Cannes 2018.
A 68ª edição do festival de cinema de Cannes teve duas características marcantes: foi dominada pela presença francesa tanto na competição como nas secções paralelas e deixou bem claro o papel da mulher no cinema de hoje.
O senhor Dheepan e a família foram a Cannes