Escolha as suas informações

Festival de Cinema: Cannes começa na quarta-feira na mira da segurança e da Netflix
Cultura 2 min. 16.05.2017

Festival de Cinema: Cannes começa na quarta-feira na mira da segurança e da Netflix

O festival de cinema de Cannes promete medidas de segurança reforçadas, mas discretas.

Festival de Cinema: Cannes começa na quarta-feira na mira da segurança e da Netflix

O festival de cinema de Cannes promete medidas de segurança reforçadas, mas discretas.
Foto: AFP
Cultura 2 min. 16.05.2017

Festival de Cinema: Cannes começa na quarta-feira na mira da segurança e da Netflix

O Festival de Cinema de Cannes começa na quarta-feira, com Isabelle Huppert e Clint Eastwood, com o cinema de Michael Haneke e Sofia Coppola, com medidas de segurança reforçadas e uma polémica com a plataforma digital Netflix.

O Festival de Cinema de Cannes começa na quarta-feira, com Isabelle Huppert e Clint Eastwood, com o cinema de Michael Haneke e Sofia Coppola, com medidas de segurança reforçadas e uma polémica com a plataforma digital Netflix.

O festival francês, que se prepara para celebrar 70 edições, terá 19 filmes em competição pela Palma de Ouro, sendo o júri presidido pelo espanhol Pedro Almodóvar.

Entre os filmes em competição contam-se "Happy End", de Michael Haneke, "Le redoutable", de Michel Hananavicius, "Good time", dos irmãos Benny e Josh Safdie, e "Wonderstruck", de Todd Haynes, aos quais se juntam "Okja", de Bong Joon Ho, e "The Meyerowitz Stories", de Noah Baumbach, ambos produzidos pela Netflix e que só se estrearão depois nesta plataforma e em países selecionados.

A Federação Nacional dos Cinemas Franceses criticou a escolha destes dois filmes, porque não os vai poder estrear em sala e o festival já anunciou que vai mudar as regras para 2018: só poderão competir filmes que tenham garantia de estreia comercial em sala em França.

A plataforma de exibição de cinema e televisão na Internet já ripostou, dizendo que os festivais têm de mudar, porque os canais de distribuição e os espectadores também mudaram.

À margem desta polémica, em Cannes estende-se a passadeira para figuras com a atriz Nicole Kidman, que estará presente com uma série e três filmes, entre os quais "The killing of a sacred deer", de Yorgos Lanthimos, e "The Beguiled", de Sofia Coppola, ambos escolhidos para a competição.

Fora de competição, foram escolhidos, entre outros, "Les fantômes d’Ismaël", de Arnaud Desplechin, que abrirá o festival, "D’après une histoire vraie", de Roman Polanski, acrescentado à programação, e a série "Twin Peaks", de David Lynch, em antestreia.

Por ser uma 'data redonda', a atriz francesa Isabelle Huppert vai presidir, no dia 23, à festa do 70.º aniversário, e o realizador norte-americano Clint Eastwood dará, no dia 21, uma aula de cinema e fará a exibição de uma cópia restaurada de "Imperdoável".

O cinema português estará presente em dois programas paralelos ao festival.

Na Quinzena de Realizadores estará a longa-metragem "A fábrica de nada", de Pedro Pinho, e as curtas-metragens "Farpões baldios", primeiro filme de Marta Mateus, e "Água mole", animação de Laura Gonçalves e Xá.

Na Semana da Crítica estrear-se-á a curta-metragem "Coelho Mau", de Carlos Conceição.

Ainda com o atentado de Nice na memória recente, ocorrido há dez meses, o festival de cinema de Cannes promete medidas de segurança reforçadas, mas discretas, e recorda que nenhuma edição teve a parada de estrelas prometida para este ano.

O festival de Cinema de Cannes termina no dia 28.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Cannes 2018. Afinal, não foi tão mau
A seleção do festival de cinema de Cannes nos últimos anos passou a ser feita às pinguinhas. Pelos vistos os responsáveis do maior festival de cinema do mundo acham que é melhor esperar pela reação do público e dos críticos antes de fecharem a lista de filmes a concurso.
Portugal conseguiu uma representação decente na reta final.
Festival de Cannes. Tapete sem selfies
Os títulos da seleção oficial da 71ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes foram revelados na semana passada durante a conferência de imprensa conduzida pelo diretor artístico do certame, Thierry Frémaux, e Pierre Lescure, presidente do festival.
f
Festival de Cannes: Filmes, dúvidas e um festival
Um dos mais conhecidos críticos luxemburgueses disse-me há já alguns meses que tinha tomado a decisão de não ir este ano ao festival de Cannes. Duvidei e perguntei-lhe porquê. Disse-me que não tinha vontade de ver os filmes que Cannes lhe propõe; porque são pretensiosos ou porque são sempre dos mesmos autores.
 O 70° Festival de Cannes começa hoje e decorre até 28 de maio.
Cannes 2015 : Cannes francês e feminino
A 68ª edição do festival de cinema de Cannes teve duas características marcantes: foi dominada pela presença francesa tanto na competição como nas secções paralelas e deixou bem claro o papel da mulher no cinema de hoje.
O senhor Dheepan e a família foram a Cannes
Cannes 2015 : O império português contra-ataca
É impossível ser-se português no festival de Cannes e não falar, ou ouvir falar, do filme de Miguel Gomes “As mil e uma noites”. Esta trilogia surpreendente não está sequer na competição oficial, participando na Quinzena dos Realizadores, uma secção paralela do festival. Este ano não se pode dizer a ninguém em Cannes “sou português” sem que o interlocutor pergunte: “e então que achaste do filme do Miguel Gomes?”.
Miguel Gomes levou  "As mil e uma noites" até Cannes
Festival de Cannes 2015 : Cinema para Paris
Dizia-se em Portugal, a partir dos anos 70, que muitos dos nossos cineastas faziam filmes para mostrar em Paris em vez do nosso país. A expressão foi cunhada para definir, ironicamente, o cinema português que recebia influências da nova vaga francesa e de outras tendências que se seguiram.
Este ano, Miguel Gomes vai à Quinzena dos Realizadores, em Cannes, para apresentar o seu novo trabalho "Mil e uma noites"