Escolha as suas informações

Festival das Migrações junta cores, sons e sabores este fim de semana
Cultura 28.02.2018

Festival das Migrações junta cores, sons e sabores este fim de semana

Festival das Migrações junta cores, sons e sabores este fim de semana

Foto: Lex Kleren
Cultura 28.02.2018

Festival das Migrações junta cores, sons e sabores este fim de semana

Música, gastronomia, literatura, moda e dança voltam a marcar o Festival das Migrações, das Culturas e da Cidadania. Um dos destaques deste ano é a presença do “pai” do Vitinho. O ilustrador e escritor José Maria Pimentel é um dos quatro escritores lusófonos convidados para o Salão do Livro, integrado na edição número 35 do Festival das Migrações, que se realiza nos dias 2,3 e 4 de março, na Luxexpo, em Kirchberg.

O luso-angolano publicou, no final de 2017, “O grande livro do Vitinho”, uma obra obrigatório para os fãs, na qual se conta a relação de 35 anos com o personagem que mandava as crianças para a cama, mas que tirava o sono ao seu criador. No domingo, dia 4, pelas 14h, José Maria Pimentel vai estar à conversa com os interessados, numa sessão aberta ao público em plena sala 1 do Salão do Livro. Também nesse dia e no mesmo local, mas pelas 15h30, será David Machado, vencedor do Prémio da União Europeia para a Literatura 2015, com o romance “Índice Médio de Felicidade” quem estará à disposição dos visitantes.

No sábado, dia 3, pelas 15h30, a sala 2 recebe Maria do Rosário Pedreira, editora, letrista, poetisa, romancista e escritora de literatura juvenil, como a coleção “Clube das Chaves”. Ao meio-dia, no mesmo local, está marcado um encontro com Ana Semedo, autora de “Lembranças de Um Bosque Esquecido”, o seu romance de estreia.

Além dos quatro escritores lusófonos, a edição 18 do Salão do Livro recebe autores de várias nacionalidades, contando ainda com ’stands’ literários das diversas associações, livrarias e editores.

Multiculturalidade e novos desafios na Europa

O Festival das Migrações, Culturas e da Cidadania é já uma tradição no Luxemburgo e, além dos espetáculos de música e dança, gastronomia e da mostra da diversidade cultural do Grão-Ducado, o certame é palco de múltiplas conferências e debates sobre os mais variados temas.

Em ano de eleições legislativas no Luxemburgo, marcadas para o próximo mês de outubro, as dificuldades no acesso à habitação serão um dos temas que voltam a estar em debate. Os problemas que a Europa enfrenta, os novos desafios face à emergência das ideologias de extrema-direita ou os novos fluxos migratórios com a chegada de milhares de requerentes de asilo são temas que estarão em foco durante os três dias, dividindo-se em mesas-redondas, debates e conferências.

A entrada no festival e o acesso a todas as conferências é livre. Consulte aqui a programação do festival.

VC


Notícias relacionadas

"A língua portuguesa é mais defendida no Luxemburgo", diz Maria do Rosário Pedreira
"A língua portuguesa é mais defendida no Luxemburgo", disse a escritora portuguesa Maria do Rosário Pedreira, explicando que noutras comunidades lusófonas, os descendentes de portugueses falam pouco a língua materna. A também poetisa mostrou-se agrada pelo "cuidado e respeito" que os descendentes de imigrantes portugueses têm e deu como exemplo a palestra dada durante a manhã de hoje, sábado, a alunos de vários escalões, na qual todos tinham preparado questões para lhe colocar. As declarações foram feitas ao Contacto depois da conferência inserida no Salão do Livro, inserida no Festival das Migrações, das Culturas e da Cidadania.
Maria do Rosário Pedreira diz que é uma missão escrever para crianças