Escolha as suas informações

Festas de Campo Maior eleitas Património da Humanidade
Cultura 2 min. 15.12.2021
UNESCO

Festas de Campo Maior eleitas Património da Humanidade

UNESCO

Festas de Campo Maior eleitas Património da Humanidade

Foto: EPA
Cultura 2 min. 15.12.2021
UNESCO

Festas de Campo Maior eleitas Património da Humanidade

Lusa
Lusa
A UNESCO anunciou esta quarta-feira a classificação como Património Cultural Imaterial das Festas do Povo daquela vila alentejana, conhecidas pelas coloridas flores de papel feitas pela comunidade.

As Festas do Povo de Campo Maior, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira classificadas como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A inscrição como Património Cultural Imaterial das festas comunitárias portuguesas, na vila de Campo Maior, na região do Alentejo, foi aprovada ao início desta tarde, na 16.ª reunião do Comité do Património Mundial da UNESCO, que está a decorrer em Paris (França), até sábado.

Tradição secular e realizadas pela última vez em 2015, as Festas do Povo de Campo Maior são conhecidas por apresentarem dezenas de ruas, sobretudo no centro histórico, ‘engalanadas’ com milhares de flores de papel, feitas pela população de forma voluntária.

Promovidos pela AFPCM, os festejos na vila alentejana eram já reconhecidos internacionalmente pela sua originalidade e cariz popular, com os habitantes a prepararem a ornamentação das ruas durante meses a fio.

Esta tradição, identitária de Campo Maior, tem vindo a ser transmitida de geração em geração, oralmente e de forma informal, com os mais velhos a ensinarem aos mais novos os ‘segredos’ da elaboração das flores que ornamentam os espaços públicos da vila.

Uma festa que acontece "quando o povo quer"

Graça Fonseca, ministra da Cultura, refere que o ‘selo’ da UNESCO às Festas do Povo de Campo Maior (Portalegre) “muito honra todo o país” e “distingue culturalmente a região do Alentejo”.

A classificação, ao mesmo tempo, “projeta a cultura portuguesa, contribuindo de modo significativo para valorizar e salvaguardar este património que nos é comum”, acrescenta em comunicado.

As festas, “enquanto manifestação popular de uma comunidade viva, têm um contributo muito especial das mulheres de Campo Maior, que trabalham de modo continuado nas suas flores em papel, passando esse testemunho às gerações mais novas e permitindo manter viva uma tradição em que todos os portugueses se reconhecem”, frisa a ministra.

Graça Fonseca sublinha que as festas, que “’acontecem quando o povo quer’, não decoram apenas o centro histórico de Campo Maior com milhões de coloridas flores de papel, mas [também] abrem a vila a todos os portugueses”.

A ministra sublinha que com a distinção atribuída hoje, as Festas do Povo de Campo Maior integram a “importante lista” de bens classificados como Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, da qual já fazem parte o fado, o cante alentejano, a louça de Bisalhães, os chocalhos de Alcáçovas, os Bonecos de Estremoz e os Caretos de Podence.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.