Escolha as suas informações

Esta noite: Ana Laíns de regresso ao Luxemburgo e… aos discos
A fadista portuguesa Ana Laíns

Esta noite: Ana Laíns de regresso ao Luxemburgo e… aos discos

Foto: Lilia Reis
A fadista portuguesa Ana Laíns
Cultura 1 4 min. 23.08.2017

Esta noite: Ana Laíns de regresso ao Luxemburgo e… aos discos

Sete anos após a sua última atuação no país, a fadista portuguesa Ana Laíns está de regresso ao Luxemburgo para um concerto hoje à noite, na Artikuss, em Soleuvre.

Sete anos depois da sua última atuação no país, a fadista portuguesa Ana Laíns está de regresso ao Luxemburgo para um concerto único, esta noite, na Artikuss, em Soleuvre. O espetáculo está inserido na digressão de apresentação do seu novo álbum que tem lançamento previsto para o próximo mês de outubro.

Aos 37 anos de idade, a cantora Ana Laíns tem o Fado e a Música Tradicional Portuguesa entranhados na alma. O público reconhece-lhe a paixão e os portugueses residentes no Luxemburgo roubam-lhe uma fatia do coração.

“Confesso que estou em pânico porque não canto no Luxemburgo há sete anos. Fiz aí muitos amigos, alguns que não vejo há muitos anos e, por isso, fico feliz por ter oportunidade de voltar, desta vez com o meu concerto oficial”, disse Ana Laíns, numa entrevista exclusiva ao CONTACTO.

Ana Laíns
Ana Laíns
Foto: Lilia Reis

Do Grão-Ducado e da comunidade portuguesa guarda as melhores recordações. O concerto em Soleuvre será como que um reencontro de “velhos amigos”, mas será igualmente a oportunidade para conquistar novos públicos.

“Sempre fui muito bem-recebida e aplaudida. Não me lembro de uma noite que isso não tenha acontecido. Confesso que o Luxemburgo é o único país estrangeiro na Europa em que atuei quase exclusivamente para portugueses e isso faz com que me sinta mais em casa”, afiança a cantora nascida em Tomar.

Ana Laíns é conhecedora da realidade portuguesa radicada no Grão-Ducado. A saudade e a paixão são palavras recorrentes na ponte que liga os quase dois mil quilómetros de distância entre os dois países. “A comunidade portuguesa é muito importante para o Luxemburgo, são muitas pessoas, a maior comunidade estrangeira no país, e um povo trabalhador. Creio que o Luxemburgo terá muito orgulho nos portugueses, pois são muito importantes na sociedade e na economia do país”, analisou.

O que podem esperar os portugueses (e não só) do espetáculo no Luxemburgo? “Uma viagem muito emocionante pela minha história na música, pela música de cariz português, muito fado, muita toada das beiras, muito cheiro a Portugal. Só vai faltar a sardinha assada”, brinca Ana Laíns.

Sucessor de "Quatro Caminhos" editado em outubro

O concerto agendado para 2 de dezembro, na Artikuss, em Soleuvre, vai passar em revista alguns temas dos dois primeiros álbuns da carreira da cantora: “Sentidos” (2006) e “Quatro Caminhos” (2010).

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Contudo, o prato forte do espetáculo será mesmo o novo trabalho de Ana Laíns, que tem lançamento previsto para o mês de outubro. Ainda sem poder avançar com o nome do registo, a cantora falou com o CONTACTO, e pela primeira vez à imprensa, sobre o novo disco.

“Estive sete anos sem lançar qualquer álbum e considero que este trabalho é o meu carimbo. É um disco muito sonhado, muito pensado, fruto de tantas viagens que me fazem sempre ter certeza da coisa mais importante da minha vida: ser portuguesa e cantar em português é a minha missão”, diz a cantora.

“Dedico a minha carreira a esta missão de defender a nossa cultura, a nossa história e a nossa língua”, afiança.

O novo trabalho será composto por 14 temas, sendo oito originais e os restantes versões de música tradicional portuguesa (“a grande paixão” de Ana Laíns).

“O novo disco será editado no dia 27 de outubro, mas o seu nome ainda tenho de o manter guardado. Será o primeiro disco produzido por mim e pelo meu marido e diretor musical, Paulo Loureiro”, revela Ana Laíns.

“Cantarei Zeca Afonso que ainda não tinha gravado, embora cante o seu reportório há muito tempo. Gravei temas em português actual, mas também em mirandês e galaico-português. Também haverá Fado. A nível de instrumentos haverá muito adufe, guitarra portuguesa. Muito drama, mas também muita alegria. Este é, seguramente, o mais "mesclado" e interessante de todos os meus discos”, destapa a cantora.

Num dos temas originais do novo disco, a canção "Sou Dual", Ana Laíns conta com uma dupla parceria de peso: o cantor e compositor brasileiro Ivan Lins e com a fadista portuguesa Mafalda Arnauth.

Ana Laíns
Ana Laíns
Foto: Lilia Reis

“É um tema que aborda a inerente dualidade da existência humana, as nossas dúvidas, incertezas misturadas com certezas, a naturalidade dessas dualidades que teimamos em não querer aceitar. Como se fossemos obrigados a ter todas as respostas”, explicou a cantora, ao nosso jornal.

Mas o novo disco terá ainda outros ‘parceiros’. Por exemplo, Ana Laíns gravou o tema “Sei-te”, musicado por Fernando Alvim (antigo viola de Carlos Paredes). “O Fernando faleceu em 2015 e uns meses antes escreveu este tema para mim, com letra de Mafalda Arnauth. É uma honra enorme prestar esta homenagem a título póstumo. É uma peça importante neste novo trabalho”, desabafou a cantora que, em 1999, venceu a Grande Noite do Fado de Lisboa.

 “É um tema dedicado ao Fernando e ao meu pai, que já partiram e deixam uma saudade gigante, com a qual nem sempre é fácil lidar. Música que fala sobre a certeza de um reencontro numa outra margem de um outro rio, que não é aqui neste lugar”, remata.

A finalizar a conversa com o CONTACTO, Ana Laíns confessa estar ansiosa por regressar ao Luxemburgo e deixa uma mensagem: “Desejo que todos os portugueses, dentro e fora de Portugal, que tenham muito orgulho nas suas raízes”.

Paulo Dâmaso

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Concerto no Luxemburgo : Miguel Araújo na Philharmonie
O nome de Miguel Araújo se calhar não lhe diz muito, mas se lhe dissermos que é ele que canta aquela música que diz que “os maridos das outras são...”, com certeza que até já está a trautear a música que chegou aos tops portugueses em 2012. Miguel Araújo é autor e compositor e vai actuar no próximo dia 1 de Outubro na Philharmonie, na cidade do Luxemburgo. Há quem diga que é dos melhores da actualidade.
É a primeira vez que Miguel Araújo vem ao Luxemburgo
Cantora belga de origem portuguesa: Wendy Nazaré estreia-se em concerto no Luxemburgo
É uma das novas promessas da música pop-folk e fala português. Wendy Nazaré tem dois álbuns editados na Bélgica – “Pas de pareil” (2009) e “À tire d’ailes” (2012) – e vai estar pela primeira vez no Luxemburgo no próximo sábado, dia 29 de Novembro, na Kulturfabrik. Para Wendy, o concerto vai ser um reencontro com o seu lado português.
Wendy Nazaré e a sua música são o resultado de uma mestiçagem com influências de vários cantos do mundo