Escolha as suas informações

Especial Festival de Cannes: O presidente cinéfilo
Festival de Cannes 2013

Especial Festival de Cannes: O presidente cinéfilo

Festival de Cannes 2013
Cultura 7 min. 10.09.2013

Especial Festival de Cannes: O presidente cinéfilo

Raúl Reis na Croisette

Steven Spielberg, que preside ao júri do festival de cinema de Cannes que que começa esta quarta-feira, diz que vê todos os fins-de-semana meia dúzia de filmes.

"Corro atrás do que perdi durante a semana de trabalho. Por isso, ver dois filmes por dia em Cannes vai ser fácil", explica a uma revista francesa.Além disso, Spielberg prometeu que será um presidente de júri "democrático" pois, para ele, todos os filmes "são iguais" antes de serem exibidos.

Mas, recordou que tem falta de treino no trabalho de jurado: "não faço parte de um júri desde o Festival de Avoriaz, em 1976", recordou.

A boa notícia é que Spielberg assegurou que não tem preferência por nenhum tipo de trabalho: popular ou exigente. "Acredito que antes de serem exibidos, todos os filmes são iguais.

Cada vez que alguém realiza, as intenções são as mesmas, seja Christopher Nolan ou Michael Haneke, a intenção é expressar o que sente no seu interior".

O realizador deixou, no entanto, uma crítica. Spielberg acha que o cinema independente "nunca foi tão bem representado" no certame.

Este ano, Spielberg faz-se acompanhar no júri por grandes nomes como Nicole Kidman, Christopher Waltz ou o realizador Ang Lee. Kidman, Waltz, Lee e Spielberg já foram consagrados com Óscares, o que faz com que este seja o júri mais hollywoodesco da história.

O director artístico do festival de Cannes, Thierry Fremaux, considera que se trata de uma coincidência: "todos são amigos de Cannes e não podemos esquecer que estas estrelas estão envolvidas e comprometidas com o cinema independente".

Do painel de jurados este ano farão também parte o actor francês Daniel Auteuil, a realizadora japonesa Naomi Kawase, o realizador romeno Cristian Mungiu, a actriz indiana Vidya Balan e a realizadora britânica Lynne Ramsay.

A selecção oficial

Num ano de júri hollywoodesco, os americanos contam com seis filmes na selecção oficial, coisa rara nos últimos anos. A França contribui com cinco produções.

Os onze filmes americanos e franceses constituem metade da lista de filmes seleccionados.Steven Soderbergh, Roman Polanski e os irmãos Coen surgem numa selecção com forte presença francesa, norte-americana e asiática.

Valeria Bruni-Tedeschi, irmã de Carla Bruni-Sarkozy, é a única mulher candidata à Palma de Ouro em 2013. Soderbergh regressa ao festival que o consagrou há 24 anos com a Palma de Ouro para "Sexo, Mentiras e Vídeo" (1989), a sua primeira obra.

Na competição vai mostrar a biografia "Behind the Candelabra", inspirado na vida do extravagante pianista Liberace.Destaque para a presença de "Inside Llewyn Davis", protagonizado por Oscar Isaac, Carey Mulligan e Justin Timberlake.

É o novo filme dos irmãos Coen que contam a história de um compositor folk nos anos 60 em Nova Iorque. Os dois realizadores não apresentam uma obra em Cannes desde 2007 ("Este País Não é Para Velhos"), mas marcaram presença com sete filmes no festival.

Um regresso muito aguardado é o de Polanski que aparece na Croisette com duas obras. Um documentário de 1972 e o seu mais recente filme, "Venus In Fur", com o qual está habilitado a ganhar a segunda Palma de Ouro após a consagração máxima que obteve com "The Pianist" (2002).

O norte-americano Alexander Payne regressa 11 anos depois de "About Schmidt" com "Nebraska", filme a preto-e-branco sobre uma viagem de um pai e um filho; o realizador de origem dinamarquesa Nicolas Winding Refn ressurge dois anos depois de ter ganho o prémio de realização com "Drive" - em "Only God Forgives", e dirige novamente Ryan Gosling.

James Gray apresenta "The Immigrant", dando sequência a uma presença regular no maior festival de cinema do mundo. "Only Lovers Left Alive", o mais recente trabalho do americano Jim Jarmusch, é uma história de vampiros que foi acrescentada à competição à última hora.

"Psychoterapy of a Plains Indian" é o primeiro filme em língua inglesa de Arnaud Desplechin, que com "Jeune et Jolie" de François Ozon, "Michael Kohlaas", de Arnaud des Pallières, "La Vie D'Adéle", de Abdellatif Kechiche, e "Un Chateau en Italie", de Valeria Bruni-Tedeschi constituem a armada francesa à procura de consagração.

A presença portuguesa

O realizador português Miguel Gomes preside ao júri que atribuirá o grande prémio da 52ª Semana da Crítica, evento criado em 1962 pelos críticos franceses, para dar a conhecer primeiras obras e novos realizadores.

"Com uma carreira na indústria cinematográfica, feita em nome próprio apenas com três longas-metragens, Gomes representa a essência da Semana da Crítica: descobrir novos autores através dos seus primeiro e segundos filmes, e apresentá-los no plano internacional", segundo a organização do certame paralelo ao festival.

Outro português a presidir a um júri é o realizador João Pedro Rodrigues que dirigirá as deliberações que conduzem ao prémio Queer Palm, um galardão para filmes que tratem a temática da homossexualidade, bissexualidade e transgénero.

Esta é a terceira vez consecutiva que João Pedro Rodrigues é convidado para júris do festival de Cannes, que este ano decorrerá de 15 a 26 de Maio. O realizador de "Morrer como um homem" já integrou em 2011 o júri da "Cinéfondation" e da Palma de Ouro de curta-metragem e, no ano passado, presidiu ao júri de curtas da Semana da Crítica.

Ainda entre as presenças lusas, a Quinzena dos Realizadores seleccionou os filmes mais recentes de Basil da Cunha e João Nicolau.

Ambos marcam presença pela terceira vez em Cannes. Nicolau apresenta a curta-metragem "Gambozinos" enquanto que Basil da Cunha concorre com a longa metragem "Après la nuit", produzido por uma companhia suíça.Um filme produzido para marcar Guimarães 2012 passa pela Semana da Crítica.

Trata-se de "3X3D" e é composto pelas curtas "Just in Time", de Peter Greenaway, "Cinesapiens", de Edgar Pêra e "The Three Disasters", de Jean-Luc Godard.

O filme mostra as visões dos três realizadores sobre a tridimensionalidade e explora a forma como a filmagem em 3D afecta a percepção espacial do espectador.

O cartaz

O curioso cartaz do festival 2013 tem por tema um beijo entre Paul Newman e Joanne Woodward. "O casal representa todo o cinema americano convocado num beijo surpreendente", diz a organização.

Woodward foi a primeira a receber uma estrela no Passeio da Fama de Hollywood a 9 de Fevereiro de 1960, e Newman é um actor imenso, que foi filmado por realizadores essenciais como Otto Preminger, Alfred Hitchcock, John Huston, Robert Altman, Martin Scorsese e mesmo os irmãos Coen que este ano estão na selecção oficial. "La boucle est bouclée".

Raúl Reis, em Cannes

Publicado no CONTACTO em 15.05.2013


Notícias relacionadas