Escolha as suas informações

Entrevista com o actor brasileiro Lino Facioli: “Não posso revelar o que se vai passar em Game of Thrones porque também não sei”
Cultura 12 2 8 min. 19.11.2015

Entrevista com o actor brasileiro Lino Facioli: “Não posso revelar o que se vai passar em Game of Thrones porque também não sei”

Cultura 12 2 8 min. 19.11.2015

Entrevista com o actor brasileiro Lino Facioli: “Não posso revelar o que se vai passar em Game of Thrones porque também não sei”

O actor brasileiro Lino Facioli, conhecido da série “Game of Thrones”, passou pelo Luxemburgo como convidado do Festival do Filme Brasileiro. O CONTACTO conversou com o jovem actor de 15 anos.

O actor brasileiro Lino Facioli, conhecido da série “Game of Thrones”, passou pelo Luxemburgo como convidado do Festival do Filme Brasileiro. O CONTACTO conversou com o jovem actor de 15 anos.

No pequeno ecrã é conhecido como Robert Arryn, da série Game of Thrones, um miúdo mimado, meio-louco, meio-frágil. Mas, na vida real, Lino Facioli é um adolescente com um olhar vivo e inteligente, com um cabelo à Elvis, próprio da idade, apesar de se mostrar um pouco tímido no início da entrevista.

De Londres, onde Lino mora, ao Luxemburgo, é um saltinho, mas os pais acompanham o jovem nesta sua primeira visita ao Grão-Ducado e a conversa acaba por ser com os três.

Lino Facioli nasce no ano 2000 em Ribeirão Preto (Estado de São Paulo), mas mora em Londres desde 2005. Com sete anos diz que quer ser actor e os pais matriculam-no numa escola de teatro. Três anos mais tarde, participa no filme “Get Him to the Greek”, no qual contracena com Russell Brand e Jonah Hill, dois pesos-pesados da comédia em Hollywood. Na mesma altura, consegue também um papel importante em “Awfully Deep”, uma curta-metragem britânica. Em ambos os filmes, com apenas dez anos, Lino usa pequenos óculos redondos, uma franja de “menino bem” e um ar nada disfarçado de Harry Potter. E consegue um desempenho nos dois papéis que nos deixam convictos de estarmos a assistir ao nascimento de um actor.

Mas o momento decisivo na sua carreira acontece quando nesse mesmo ano é seleccionado para integrar o elenco de uma das séries televisivas mais vistas a nível internacional, “A Guerra dos Tronos”, do canal americano HBO.

A contra-corrente dos dois outros papéis, em ‘Game of Thrones’, enquanto Robert Arryn, Lino interpreta o papel do único herdeiro da casa nobre do “Vale”. Õrfão de pai, Robert é uma criança neurótica, frouxa, débil, que aos seis anos ainda mama no seio da mãe enquanto esta está no trono, de mama de fora, para alimentar o pequeno, recebe os súbditos em audiência. Uma imagem que marca e que também é a primeira cena em que Lino aparece na série.

Com o CONTACTO, a cena é evocada e os pais confiam porque o deixaram participar nessa cena e na série, que é por vezes criticada por ser violenta e por ter muito sexo e nudez.

“Claro que nos preocupamos com a fama e com as cenas que ele grava. Tínhamos algum receio da repercussão que a primeira cena em que ele entrava pudesse ter na escola, porque foi polémica. Mas correu tudo bem e nós temos sempre muito cuidado em conversar com ele, em acompanhá-lo, também às filmagens”, dizem os pais.

“Quando lemos o argumento e apesar da primeira cena que ele tinha que gravar, vimos que a história contada era muito interessante, e deixámo-nos cativar pelo enredo. E, no final de contas, o importante é ele estar feliz com o que está a fazer”, asseguram. Ao CONTACTO, Lino conta que quando fez o primeiro ’casting’ foi para o papel de Bran Stark, mas a segunda audição valeu-lhe ser escolhido para encarnar Robert Arryn.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

A FAMA AOS 10 ANOS

Quanto à celebridade que teve de começar a gerir com o êxito crescente da série, Lino diz que lida bem com a fama. “Nem sempre as pessoas na rua me reconhecem de Game of Thrones. Comecei a ser mais reconhecido a partir da terceira temporada da série, mas foi uma coisa gradual. Primeiro, eram só os ’geeks’ que vinham ter comigo, pessoas que liam os livros [a série é baseada na saga “A Song of Ice and Fire”, iniciada em 1991 pelo romancista americano George R.R. Martin]. Depois, comecei a ser abordado por um público mais geral, porque a série não é só sobre dragões e fantasia, tem muitos jogos políticos”, diz Lino.

É preciso explicar que se Lino não é logo reconhecido pelo público, é também porque a primeira temporada foi gravada quando ele tinha 10 anos e era bem diferente do adolescente que é hoje. “E depois também há o facto de em episódios mais recentes eu usar uma peruca, o que muda muito o meu rosto”, acrescenta o actor.

O jovem admite que conciliar filmagens e escola nem sempre é fácil. “A escola onde estou sabe que eu tenho esta carreira. Quando preciso faltar às aulas, como agora para vir ao Luxemburgo, são muito compreensivos”. O pai corrige: “Sim, eles aceitaram, mas também avisaram que era na condição de o Lino continuar a ter boas notas. E ele tem sido, graças a Deus, um muito bom aluno”.

“Eu sei que a escola é algo importante e quero ir para a Universidade. Só não sei ainda que formação vou escolher, ainda tenho tempo...”, garante Lino.

O pai, Ricardo Facioli, é artista gráfico. A mãe, Cláudia Schmidek, é arquitecta e desenha jóias. “Sendo os pais ambos artistas, foi isso que despertou em si a veia artística?”, perguntamos. É a mãe que responde: “Desde pequeno que ele sempre gostou de se fantasiar (disfarçar)”. O pai continua: ”Nós dizíamos que íamos à padaria e ele não saía sem colocar um bigode postiço à Groucho Marx. Depois ficava à espera de uma reacção nossa e das pessoas na rua. Com cerca de dois anos já havia essa procura do público”.

O PRIMEIRO FILME EM PORTUGUÊS

Lino Facioli é o protagonista do filme "O Menino ao Espelho" (2014)
Lino Facioli é o protagonista do filme "O Menino ao Espelho" (2014)

Ao Grão-Ducado, Lino Facioli veio para apresentar o filme “O Menino no Espelho”, realizado por Guilherme Fiuza Zenha em 2014, película que faz parte do cartaz do Festival do Filme Brasileiro e que é uma das suas primeiras incursões no grande ecrã em português.

“Neste filme, é a primeira vez que interpreto uma personagem, duas, aliás, em que tenho que falar na minha língua materna e não em inglês. Não estou nada habituado a trabalhar na minha língua, mas foi muito interessante”, recorda. Habituado ao ritmo de gravações de uma série, Lino conta que com este filme viveu outras estreias.

“Foi também a primeira vez que fui protagonista de um filme, foi a primeira vez que pude aprofundar e desenvolver uma personagem, do princípio até ao fim. Em Game of Thrones só recebemos a parte do ’roteiro’ [argumento] que diz respeito à nossa personagem e não sabemos como esta vai evoluir”, explica.

Esta película significou igualmente o regresso às raízes. “Este primeiro filme brasileiro permitiu-me também voltar ao meu país natal, lembrar-me da minha infância numa pequena cidade do Brasil. Foi muito bom!”, confia.

Lino também já fez teatro. Quando lhe perguntamos se prefere o cinema ou o palco, responde: “O que eu gosto no teatro é a energia que você recebe do público, é imediato, é algo incrível. No cinema, temos tempo para melhorar a cena, repeti-la de muitas maneiras diferentes, o que não podemos fazer no palco. Não sei se prefiro o cinema ou o teatro, gosto dos dois”.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS

O CONTACTO tentou saber como a personagem de Robert Arryn vai evoluir e o que se passa na sexta temporada de Game of Thrones, gravada entre Junho e Outubro, e que chega à televisão em Fevereiro de 2016. Lino confia não saber.

“Não posso revelar o que se vai passar em Game of Thrones porque também não sei. Pessoalmente, não sei o que se passa na série, porque não assisto [vejo]. Não quero assistir, porque quero ter uma relação profissional com os outros actores. Depois de a série acabar, sim, vou ver. Mas também não sei o que se passa na série porque de início eu recebia o roteiro do episódio inteiro, mas a partir da terceira ou quarta temporada enviam-me apenas os diálogos das cenas em que eu entro. Portanto, não sei o que se passa com as outras personagens, nem como a minha vai evoluir.”

Quanto às suas relações com os outros actores, Lino diz que “todos são muitos legais, não há ninguém de quem eu não gosto, dos actores ou da equipa de produção”.

“Fui jantar com os meus pais e a actriz que faz de minha mãe na série [Kate Dickie], ela é gente boa”, diz Lino. “Fiquei também amigo do Isaac [Isaac Hempstead-Wright, que desempenha o papel de Bran Stark] e da Sophie [Sophie Turner, que faz de Sansa Stark]”.

No sábado, a actriz Emilia Clarke (Daenerys Targaryen, na série) revelou à imprensa que Game of Thrones não irá além das oito temporadas. Ou seja, Lino tem trabalho para mais dois anos. Ou mais, já que ao CONTACTO os pais de Lino confiaram que os produtores não afastam a possibilidade de a saga passar para o grande ecrã.

Para já, Lino confia que talvez um dia passe do outro lado da câmara para realizar os seus próprios filmes. “Já faço pequenos filmes com alguns amigos, mas é mais por brincadeira. Um dia, quem sabe... Gosto muito do estilo de filmes do Wes Anderson ou do Spielberg, que têm sempre uma componente fantástica.”

O Festival do Filme Brasileiro decorre até 20 de Novembro em várias salas de cinemas da capital, e também em Bettembourg e Dudelange.

José Luís Correia


Notícias relacionadas

Luxemburgo: Festival de cinema brasileiro regressa em Novembro com 11 filmes
O festival de cinema brasileiro regressa ao Luxemburgo de 12 a 20 de Novembro, com 11 filmes projectados em três localidades no país, incluindo quatro sobre identidade de género, um dos temas desta quinta edição. Outro dos destaques é a vinda do actor brasileiro Lino Facioli, conhecido pelo papel de Robin Arryn no popular "Guerra dos Tronos".