Escolha as suas informações

"Eldorado" recebe três prémios no festival Caminhos do Cinema Português
Cultura 2 min. 02.12.2016

"Eldorado" recebe três prémios no festival Caminhos do Cinema Português

Os quatro protagonistas do filme: Fernando Santos, Jonathan Loureiro, Isabel Oliveira e Carlos Borges

"Eldorado" recebe três prémios no festival Caminhos do Cinema Português

Os quatro protagonistas do filme: Fernando Santos, Jonathan Loureiro, Isabel Oliveira e Carlos Borges
Foto: Samsa Film
Cultura 2 min. 02.12.2016

"Eldorado" recebe três prémios no festival Caminhos do Cinema Português

O filme "Eldorado", sobre a emigração portuguesa para o Luxemburgo, recebeu três prémios no festival Caminhos do Cinema Português, em Coimbra, incluindo o galardão para o melhor documentário.

O filme "Eldorado", sobre a emigração portuguesa para o Luxemburgo, recebeu três prémios no festival Caminhos do Cinema Português, em Coimbra, incluindo o galardão para o melhor documentário.

O filme de Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson foi ainda distinguido com o prémio da imprensa e o prémio D. Quijote, da Federação Internacional de Cineclubes, atribuído por cinéfilos de vários países do mundo que integram aquele organismo.

O júri do festival português considerou que o documentário, que durante três anos acompanhou a vida de quatro imigrantes portugueses à procura do “Eldorado” luxemburguês, é "uma viagem crua e despojada pela realidade da emigração e da saudade".

A animação "Chatear-me-ia Morrer Tão Joveeeeeeem?", de Filipe Abranches, venceu o Grande Prémio da 22.ª edição deste festival dedicado ao cinema português, "pela atualidade e pertinência do tema e originalidade do traço do seu ator", informou a organização.

O filme "Cartas de Guerra", em que Ivo M. Ferreira aborda a Guerra Colonial a partir da correspondência entre o escritor António Lobo Antunes e a sua primeira mulher, Maria José, quando esteve destacado em Angola, foi uma das obras que mais prémios arrecadou. O filme recebeu o galardão de melhor longa-metragem "pela recriação poética, literária e humana do avassalador passado colonial português", assim como os prémios de melhor argumento adaptado, melhor som, melhor montagem e melhor fotografia.

Rita Azevedo Gomes, pela "originalidade da abordagem ao universo da poesia portuguesa" em "Correspondências", foi considerada a melhor realizadora do festival e Leonor Teles arrecadou o prémio revelação.

O filme "Zeus", de Paulo Filipe Monteiro, arrecadou quatro prémios: melhor ator (atribuído a Sinde Filipe), melhor ator secundário (Miguel Cunha), melhor caracterização e melhor guarda-roupa.

Ana Padrão foi considerada a melhor atriz pela prestação em "Campo de Víboras" e Elizabete Piecho a melhor atriz secundária em "O Pecado de Quem nos Ama".

O júri da Selecção Caminhos foi constituído por Rita Salema, Paulo Peralta, João Tordo, Luís Gaspar, Teresa Tavares e Margarida Leitão.

O festival dedicado ao cinema português, que arrancou a 19 de novembro em Coimbra, contou com 50 filmes na competição principal e 77 na seleção de filmes criados em ambiente escolar, que foram exibidos este ano em Leiria.


Notícias relacionadas

Sara Sampaio no Grão-Ducado?
Vamos poder ver a top model, sem asas, no filme "Carga" que passa no Festival de Cinema Português no Luxemburgo. Um acontecimento com outras descobertas, como a "Peregrinação" de João Botelho.
Luxembourg City Film Festival: Entre aborrecimento e poder
Por favor não entendam mal este título: o Luxembourg City Film Festival – LuxFilmFest para os amigos – não é uma experiência aborrecida. O aborrecimento não é a característica que define os filmes do festival, mas é uma das maleitas de que sofrem muitas das personagens das obras que estão em competição.
“Sweet Country”, do australiano Warwick Thornton, é um dos filmes em competição no LuxFilmFest.
Cannes 2015 : Cannes francês e feminino
A 68ª edição do festival de cinema de Cannes teve duas características marcantes: foi dominada pela presença francesa tanto na competição como nas secções paralelas e deixou bem claro o papel da mulher no cinema de hoje.
O senhor Dheepan e a família foram a Cannes