Escolha as suas informações

E quem não salta não é português!
Opinião Cultura 13.11.2022
O poder das mulheres

E quem não salta não é português!

O poder das mulheres

E quem não salta não é português!

Foto: Lusa
Opinião Cultura 13.11.2022
O poder das mulheres

E quem não salta não é português!

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Um concerto extraordinário reconciliou-me com o público português no Luxemburgo que cantou e saltou como se não houvesse amanhã.

Quatro magníficos da música portuguesa juntaram-se em palco em Oberkorn, Differdange, no Deaf Fest. Um festival que fica para a história por ter juntado, pela primeira vez, Luís Represas, dos Trovante, Rui Pregal da Cunha dos Heróis do Mar, Tozé Santos, dos Perfume e Carlos Moisés dos Quinta do Bill

Uma plateia aos saltos ao som das músicas dos Quinta do Bill fechou o concerto com chave de ouro. Mas o entusiasmo fez-se sentir logo no início da atuação de Luís Represas que fez a audiência cantar as suas músicas. Uma paixão que cresceu quando Rui Pregal da Cunha e Tozé Santos subiram ao palco. Um concerto comemorativo dos 30 anos da Rádio Latina que não podia ter corrido melhor.

Foi a estreia de Rui Pregal da Cunha no Luxemburgo. "Os Heróis do Mar nunca tocaram no circuito da saudade", afirmou numa entrevista ao programa ShowCase da Rádio Latina. Mas é bom sentir "o amor que os portugueses que vivem fora de Portugal têm pela sua música".

No final tive oportunidade de conversar com o Luís Represas que deixou um olhar especial para a nova emigração portuguesa. Uma vaga de novos migrantes, que se junta às gerações anteriores, que já se sente nas plateias dos concertos.

Porque conhecem e cantam as músicas. Porque têm uma relação diferente com os territórios em que vivem e uma postura diferente que se sentiu na noite de ontem na explosão de alegria que se viveu no Deaf Fest.  

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.