Escolha as suas informações

Documentário "Eldorado" sobre portugueses no Luxemburgo seleccionado para festival de Taiwan
Cultura 4 min. 27.02.2016

Documentário "Eldorado" sobre portugueses no Luxemburgo seleccionado para festival de Taiwan

Isabel é uma das quatro "personagens" retratadas no filme

Documentário "Eldorado" sobre portugueses no Luxemburgo seleccionado para festival de Taiwan

Isabel é uma das quatro "personagens" retratadas no filme
Foto: Samsa
Cultura 4 min. 27.02.2016

Documentário "Eldorado" sobre portugueses no Luxemburgo seleccionado para festival de Taiwan

O documentário "Eldorado", exibido hoje em ante-estreia no Lux Film Festival, foi seleccionado também para a competição oficial do Taiwan International Documentary Festival. O filme conta as histórias de emigrantes portugueses em busca do "sonho luxemburguês".

O documentário "Eldorado", exibido hoje em ante-estreia no Lux Film Festival, foi seleccionado também para a competição oficial do Taiwan International Documentary Festival. O filme conta as histórias de emigrantes portugueses em busca do "sonho luxemburguês", um tema inédito no cinema do Grão-Ducado.

"É a primeira vez que a comunidade portuguesa no Luxemburgo é retratada e que pode exprimir-se num filme, mostrando as suas vidas, a sua intimidade, as suas emoções, as suas discussões e reflexões, e é muito importante para nós mostrar que são reconhecidos e que têm voz", disse o realizador português Rui Eduardo Abreu, que assina o filme com os luxemburgueses Thierry Besseling e Loïc Tanson.

Durante três anos, os realizadores filmaram o dia-a-dia de três imigrantes portugueses e um cabo-verdiano: Fernando, electricista recém-chegado ao país, Jonathan, um adolescente com dificuldades na escola, Isabel, que encontra trabalho a fazer limpezas, e Carlos, com problemas com a justiça.

Filmado no Luxemburgo e em Portugal, na serra da Lousada e na costa de Viana do Castelo, o documentário levou sete anos a ser concluído e vai chegar aos cinemas luxemburgueses a 16 de Março, sendo exibido hoje e no domingo na competição oficial do Lux Film Festival.

O documentário, que também foi seleccionado para a competição oficial do Taiwan International Documentary Festival, está a ser promovido intensamente pela produtora luxemburguesa Samsa, com projecções para a imprensa, participação dos realizadores em debates e exibição prevista nas maiores salas do país.

Imprensa luxemburguesa elogia filme mas critica escolha de "casos de insucesso"

O jornal Le Quotidien diz que o filme retrata "sem pretensões nem evasões (...) o pesadelo dos recém-chegados, as dificuldades para encontrar casa, um emprego fixo, as relações de família, o insucesso escolar". Elogiando "as imagens esplêndidas" e "as personagens realmente cativantes", o diário luxemburguês em língua francesa aponta no entanto que os quatro imigrantes retratados "não escapam ao lugar-comum dos portugueses do Luxemburgo que fazem um trabalho manual mal remunerado".

O Luxemburger Wort, o mais antigo diário do país, diz que o filme faz "um retrato - nem sempre lisonjeiro" da imigração portuguesa no país, mas que "reflecte fielmente uma realidade palpável (...), pelo menos para quem não teme abrir os olhos".

O semanário Land elogia "as imagens incrivelmente belas (a costa rochosa de Portugal na bruma), e uma montagem em contraponto que abre a porta a novas perspectivas, como a cena no final do 'ballet' com empregadas de limpeza e trabalhadores da construção", mas critica a escolha apenas de "casos de insucesso".

"Ficamos com uma nova perspectiva da imigração portuguesa, desencantada e desiludida, que é simultaneamente a maior crítica que se pode fazer ao filme: o facto de mostrar apenas casos de insucesso", aponta o semanário, num país em que também há "quem se tenha integrado, fundado empresas ou tenha chegado a ministro", uma referência ao luso-descendente Félix Braz, que tem actualmente a pasta da Justiça.

Em resposta, o realizador Rui Eduardo Abreu defendeu que "o sucesso e a integração não se medem pela profissão nem pela conta bancária", e que o objectivo do documentário foi "dar voz a pessoas que não é habitual ver no grande ecrã".

"Para nós era importante mostrar o que continua a ser o trabalho da maioria dos portugueses no Luxemburgo, sem negar que haja outro tipo de histórias e pessoas com vidas mais fáceis, mas é precisamente por estas vidas não serem fáceis que quisemos dar-lhes voz", explicou. "São pessoas que apesar das dificuldades nunca desistem, que mantêm sempre uma grande dignidade, e isso sobressai muito no filme, essa força interior e essa vontade de conseguir uma vida melhor", disse o realizador português, que chegou ao Luxemburgo com 11 anos, é licenciado em Etnologia e tem um mestrado em cinema documental.

Os realizadores esperam que o documentário ajude a mostrar uma realidade "ainda desconhecida" do público luxemburguês. "Os luxemburgueses não conhecem necessariamente a vida de uma empregada de limpeza ou de um operário da construção. Com este filme damos finalmente acesso a uma realidade que uma boa parte do público luxemburguês ignora, através de uma perspectiva íntima, que mostra emoções universais", disse o realizador Thierry Besseling.

Os quatro imigrantes que participam no documentário já viram o filme e gostaram do que viram. "Foi um momento muito emotivo, para nós e para eles, e eles sentiram orgulho em ver-se retratados", disse Loïc Tanson.

Os primeiros portugueses chegaram ao Luxemburgo no final dos anos 1960, rondando actualmente 100 mil, que representam cerca de 17 por cento da população.

P.T.A.

______

"Eldorado", de Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling, Loïc Tanson

Utopolis, sábado, dia 27 de Fevereiro, às 19h30.

Cinemateca, domingo, dia 28 de Fevereiro, às 21h15 (no âmbito do Lux Film Festival).

Estreia nacional a 16 de Março, nos cinemas Utopolis em Kirchberg e Belval


Notícias relacionadas

Eldorado: Espelho meu
Imagine que é presidente dos EUA e que de repente descobre a série televisiva “House of Cards”. Ou então – um exemplo mais realista -, imagine que é assassino em série e dá de caras com as aventuras de Dexter. Mais fácil ainda: imagine que é imigrante português no Luxemburgo e vai ver o documentário “Eldorado”.
Nenhum português do Luxemburgo vai ficar indiferente a “Eldorado”
"Eldorado" em ante-estreia hoje no Utopolis
"Eldorado", o documentário sobre a imigração portuguesa no Luxemburgo, vai ser exibido hoje em ante-estreia pública no cinema Utopolis. Uma sessão a que se segue uma mesa-redonda sobre a imigração portuguesa organizada pela Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI), que vai contar com o filósofo Cristovão Marinheiro e o embaixador de Portugal.
Fernando dans sa chambre de fortune.
Estreia em Março: Documentário retrata imigrantes
 portugueses em busca do "Eldorado" luxemburguês
Quase sete anos depois do lançamento das primeiras sementes, o documentário "Eldorado", sobre a imigração portuguesa no Luxemburgo, vai finalmente chegar aos cinemas luxemburgueses. Durante três anos, os realizadores acompanharam a história de quatro imigrantes lusófonos em busca do "Eldorado" luxemburguês. O resultado é um filme a meio caminho entre o documentário e a ficção que quer mostrar as "alegrias e tristezas" dos imigrantes portugueses.