Escolha as suas informações

"Curral de Moinas" está a encher as salas de cinema do Luxemburgo
Cultura 3 1 3 min. 10.11.2022
Cinema português

"Curral de Moinas" está a encher as salas de cinema do Luxemburgo

A nova comédia da dupla Quim Roscas e Zeca Estacionâncio está a ser um sucesso no Grão-Ducado. Em Portugal, é o filme português mais visto do ano.
Cinema português

"Curral de Moinas" está a encher as salas de cinema do Luxemburgo

A nova comédia da dupla Quim Roscas e Zeca Estacionâncio está a ser um sucesso no Grão-Ducado. Em Portugal, é o filme português mais visto do ano.
Foto: Filbox
Cultura 3 1 3 min. 10.11.2022
Cinema português

"Curral de Moinas" está a encher as salas de cinema do Luxemburgo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
O filme português foi o mais visto de domingo, dia 6, no país. Se o sucesso no Luxemburgo continuar poderá ser prolongada a sua exibição, uma vez que o filme tem as últimas sessões previstas para este fim-de-semana.

A dupla Quim Roscas e Zeca Estacionâncio está a gerar grandes gargalhadas entre os portugueses no Luxemburgo, no novo filme "Curral de Moinas: Os Banqueiros do Povo", em exibição no país desde o dia 2.

A par com o enorme sucesso em Portugal, esta comédia portuguesa está a encher também salas no Luxemburgo. No domingo, dia 6, foi o filme mais visto do Grão-Ducado, declara ao Contacto Miguel Cadilhe, realizador e produtor do filme, em exibição nos cinemas Kinepolis Kirchberg e Belval, até ao próximo fim-de-semana. Contudo, se a grande afluência de público se mantiver, a comédia poderá ter a sua exibição prolongada no Luxemburgo.

No passado domingo, as aventuras da dupla carismática Quim e Zeca, interpretados por João Paulo Rodrigues e Pedro Alves, tiveram mais espetadores do que os blockbusters  norte-americanos, o que enche de orgulho Miguel Cadilhe.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

"Tal sucesso é muito prestigiante para o cinema português, e para mim é uma alegria e orgulho imensos que os portugueses no Luxemburgo estejam a gostar do filme, porque o cinema também é o amor do público e fazer um filme de sucesso é o melhor prémio que se pode ter", vinca o realizador e produtor da Filbox. 


Um dos melhores filmes de sempre sobre Curral de Moinas
O filme está em exibição também no Luxemburgo desde 2 de novembro.

O filme do ano

Em Portugal, onde estreou em agosto, "Curral de Moinas: Os Banqueiros do Povo" é o filme português mais visto de 2022, com 311 mil espetadores até agora, segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA). A comédia é o sexto filme do ano com mais espetadores, ficando à frente de blockbusters como o "The Batman" ou o "Mundo Jurássico: Domínio".

Um fenómeno de bilheteira que se torna ainda mais relevante num ano em o número de espetadores nas salas de cinema, 6,7 milhões, é cerca de metade do público de 2019, que totalizou 11,5 milhões, como realça Miguel Cadilhe, lembrando que a pandemia afastou os amantes do cinema das salas.   

Um êxito invulgar que eleva a nova comédia de Quim Roscas e Zeca Estacionâncio ao quarto filme português mais visto de sempre em Portugal, quase a ultrapassar o seu antecessor "7 Pecados Rurais" também protagonizado pela mesmo dupla humorística, de 2013, que até agora está em terceiro lugar nesta tabela com 324 mil espetadores. 

A lista dos filmes nacionais mais vistos é liderada pelo "Pátio das Cantigas", de 2015, com 600 mil espetadores.

A caminho da Bélgica e da Suíça

"Graças ao sucesso do filme no Luxemburgo, 'Curral de Moinas' vai ser exibido na Bélgica a partir do dia 16", declara Miguel Cadilhe lembrando que esta produção continua em exibição por Portugal e que irá continuar a viajar pelos países com fortes comunidades portuguesas. 

No dia 18 de novembro, a obra parte à conquista da Suíça, com exibição em cinco cidades deste país: Friburgo, Genebra, Zurique, Basileia e Lugano, onde já há bilhetes reservados pelos admiradores de Quim e Zé.

Desta vez, Quim Roscas e Zeca Estacionâncio deixam a sua terra Curral de Moinas para se mudarem para Lisboa, pois o pai de Quim deixou-lhe como herança um banco na capital, o prestigiado BICO (Banco Internacional de Crédito Oficial). E com esta dupla, tudo pode acontecer... 

Além de João Paulo Rodrigues e de Pedro Alves, o elenco conta ainda com Sofia Ribeiro, Rui Unas e Rui Mendes. A exibição do filme no Luxemburgo é da iniciativa do Cineclube Português.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O humorista João Paulo Rodrigues, o famoso "Quim Roscas", desvenda como é a vida de riso com "Zeca Estacionâncio" e em "Curral de Moinas", fala do sucesso do filme e da vida na estrada com os com espetáculos cheios pelo país e comunidades.
"Zeca Estacionâncio" e "Quim Roscas", ou melhor, os humoristas Pedro Alves e João Paulo Rodrigues querem voltar ao Luxemburgo em breve.
Vamos poder ver a top model, sem asas, no filme "Carga" que passa no Festival de Cinema Português no Luxemburgo. Um acontecimento com outras descobertas, como a "Peregrinação" de João Botelho.
Há décadas que milito para que os portugueses do Luxemburgo possam ver cinema português no Grão-ducado. As obras portuguesas continuam a ser exceção nas salas e as raras oportunidades são as mostras organizadas por estruturas associativas ou pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo.
“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.
Quinzena de Cinema Português no Luxemburgo
Todos sabemos que quando vamos “lá abaixo” não temos tempo para filmes. Já todos passámos à porta de um multiplex num centro comercial e pensámos: “Amanhã vou ver este filme português”. E todos nós acabamos por preferir ir apanhar sol numa esplanada ou decidimos aceitar o convite da tia Maria José para jantar, ela que já nos anda a dizer para ir lá a casa há três Verões...
Quando a francesa Fanny Ardant dirige uma paleta de grandes actores europeus, o resultado chama-se “Cadências Obstinadas”