Escolha as suas informações

Crítica de cinema: Devagar devagarinho
“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.

Crítica de cinema: Devagar devagarinho

“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.
Cultura 2 min. 09.11.2017

Crítica de cinema: Devagar devagarinho

Há décadas que milito para que os portugueses do Luxemburgo possam ver cinema português no Grão-ducado. As obras portuguesas continuam a ser exceção nas salas e as raras oportunidades são as mostras organizadas por estruturas associativas ou pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

Há décadas que milito para que os portugueses do Luxemburgo possam ver cinema português no Grão-ducado.

A tarefa é árdua. As salas de cinema do país nunca estiveram muito interessadas em projetar cinema luso e as únicas oportunidades para ver uma produção portuguesa deveu-se ao êxito surpreendente de uma ou outra película, ou porque se tratava de uma coprodução entre os dois países. Os portugueses do Luxemburgo tiveram, por exemplo, a sorte de ver “Jaime” de António-Pedro Vasconcelos ou, mais recentemente, “Tabu” de Miguel Gomes.

As obras portuguesas continuam a ser exceção nas salas e as raras oportunidades são as mostras organizadas por estruturas associativas ou pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

“Há dois embaixadores atrás”, o diplomata que representava Portugal no Luxemburgo teve a feliz ideia de lançar uma quinzena de cinema português. Felizmente aqueles que lhe sucederam não abandonaram a ideia. A criação do Centro Cultural Português veio reforçar o projeto, colocando-o no centro das iniciativas anuais, tanto do Camões como da Embaixada.

A partir de sexta-feira, de 10 a 19 de novembro, começa – nos cinemas Utopia, Kinepolis Kirchberg e no Centro Cultural Camões – mais uma edição da Quinzena de Cinema Português. Apesar das dificuldades financeiras – o aluguer das salas é caríssimo e a maioria delas são detidas pela mesma empresa –, a Quinzena propõe uma panóplia de filmes que pode agradar a vários tipos de públicos, incluindo desenhos animados e curtas metragens recém-estreadas.

Mais importante do que dar a oportunidade aos portugueses e lusodescendentes do Luxemburgo de verem cinema luso, urge que os filmes da Quinzena sejam vistos por não-portugueses.

A maioria das projeções representarão certamente para muitos dos nossos compatriotas uma oportunidade única para verem cinema português de produção recente que não tiveram a oportunidade de apreciar, mas não se deve esquecer a importância da iniciativa para mostrar ao Luxemburgo a sétima arte do século XXI em português (por isso, os filmes da Quinzena são projetados com legendas).

Apesar de a Quinzena ser muito importante, mais relevante seria que o cinema português estivesse regularmente presente no Luxemburgo. Esta utopia pode tornar-se realidade se o grupo Kinepolis confirmar a estratégia de aproximação às comunidades estrangeiras. Os responsáveis da empresa já começaram a apresentar regularmente cinema da Rússia e da Polónia e já manifestaram interesse em mostrar no Luxemburgo mais cinema português.

A Quinzena de Cinema Português do Luxemburgo decorre de 10 a 19 de novembro. O programa pode ser consultado no site do grupo Kinepolis ou neste jornal (ver infografia na página 22).

Raúl Reis

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Quinzena do Cinema Português: O regresso do cinema de Portugal
A Quinzena de Cinema Português regressou ao Luxemburgo neste final de ano quando já se podia pensar que 2016 não ia ter a já habitual mostra de cinema luso. Ainda antes do ano terminar, o Centro Cultural e a Embaixada conseguiram por de pé uma seleção de sete longas metragens que representam bem o cinema que se foi fazendo “lá em baixo” nos últimos tempos.
Cristèle Alves Meira, realizadora luso-descendente, apresenta duas crutas metragens no dia 15 de dezembro no Instituto Camões.
De 5 a 18 de dezembro: "Cartas da Guerra" estreia no Luxemburgo
António é enviado para uma das zonas mais violentas em Angola, durante a Guerra Colonial. Médico, soldado, aspirante a escritor e apaixonado pela esposa, António escreve cartas a Maria João. Baseado no romance de António Lobo Antunes, “Cartas da Guerra”, do realizador português Ivo M. Ferreira abre a Quinzena de Cinema Português, que decorre de 5 a 18 de Dezembro em sete espaços do Luxemburgo.
"Cartas da Guerra" estreou-se este ano e tornou-se num sucesso de bilheteira
Quinzena de Cinema Português no Luxemburgo: Como manter excelentes relações com a família
Todos sabemos que quando vamos “lá abaixo” não temos tempo para filmes. Já todos passámos à porta de um multiplex num centro comercial e pensámos: “Amanhã vou ver este filme português”. E todos nós acabamos por preferir ir apanhar sol numa esplanada ou decidimos aceitar o convite da tia Maria José para jantar, ela que já nos anda a dizer para ir lá a casa há três Verões...
Quando a francesa Fanny Ardant dirige uma paleta de grandes actores europeus, o resultado chama-se “Cadências Obstinadas”
Famel Top Secret: Os entusiastas
Portugal esteve quase sempre ausente do mercado automóvel e das motas. Como fabricante, obviamente. No domínio das quatro rodas, houve tentativas que marcaram a história. Quem não se lembra do jipe UMM, que ainda hoje é procurado pelos mais nostálgicos?
“Famel Top Secret”, sobre as populares motas portuguesas com o mesmo nome, estreia sexta-feira no cinema Ariston