Crítica de cinema

Devagar devagarinho

“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.
“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.

Há décadas que milito para que os portugueses do Luxemburgo possam ver cinema português no Grão-ducado.

A tarefa é árdua. As salas de cinema do país nunca estiveram muito interessadas em projetar cinema luso e as únicas oportunidades para ver uma produção portuguesa deveu-se ao êxito surpreendente de uma ou outra película, ou porque se tratava de uma coprodução entre os dois países. Os portugueses do Luxemburgo tiveram, por exemplo, a sorte de ver “Jaime” de António-Pedro Vasconcelos ou, mais recentemente, “Tabu” de Miguel Gomes.

As obras portuguesas continuam a ser exceção nas salas e as raras oportunidades são as mostras organizadas por estruturas associativas ou pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

“Há dois embaixadores atrás”, o diplomata que representava Portugal no Luxemburgo teve a feliz ideia de lançar uma quinzena de cinema português. Felizmente aqueles que lhe sucederam não abandonaram a ideia. A criação do Centro Cultural Português veio reforçar o projeto, colocando-o no centro das iniciativas anuais, tanto do Camões como da Embaixada.

A partir de sexta-feira, de 10 a 19 de novembro, começa – nos cinemas Utopia, Kinepolis Kirchberg e no Centro Cultural Camões – mais uma edição da Quinzena de Cinema Português. Apesar das dificuldades financeiras – o aluguer das salas é caríssimo e a maioria delas são detidas pela mesma empresa –, a Quinzena propõe uma panóplia de filmes que pode agradar a vários tipos de públicos, incluindo desenhos animados e curtas metragens recém-estreadas.

Mais importante do que dar a oportunidade aos portugueses e lusodescendentes do Luxemburgo de verem cinema luso, urge que os filmes da Quinzena sejam vistos por não-portugueses.

A maioria das projeções representarão certamente para muitos dos nossos compatriotas uma oportunidade única para verem cinema português de produção recente que não tiveram a oportunidade de apreciar, mas não se deve esquecer a importância da iniciativa para mostrar ao Luxemburgo a sétima arte do século XXI em português (por isso, os filmes da Quinzena são projetados com legendas).

Apesar de a Quinzena ser muito importante, mais relevante seria que o cinema português estivesse regularmente presente no Luxemburgo. Esta utopia pode tornar-se realidade se o grupo Kinepolis confirmar a estratégia de aproximação às comunidades estrangeiras. Os responsáveis da empresa já começaram a apresentar regularmente cinema da Rússia e da Polónia e já manifestaram interesse em mostrar no Luxemburgo mais cinema português.

A Quinzena de Cinema Português do Luxemburgo decorre de 10 a 19 de novembro. O programa pode ser consultado no site do grupo Kinepolis ou neste jornal (ver infografia na página 22).

Raúl Reis

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.