Escolha as suas informações

Convento de Cinqfontaines transformado em centro educativo sobre o Holocausto
Cultura 09.02.2021

Convento de Cinqfontaines transformado em centro educativo sobre o Holocausto

Convento de Cinqfontaines transformado em centro educativo sobre o Holocausto

Cultura 09.02.2021

Convento de Cinqfontaines transformado em centro educativo sobre o Holocausto

Redação
Redação
Foi o único local de internamento de judeus no Luxemburgo durante a Segunda Guerra Mundial. Agora, vai tornar-se local de homenagem às vítimas do Shoah.

O Convento de Cinqfontaines, no norte do país, será totalmente remodelado e convertido num espaço educativo sobre as perseguições contra os judeus luxemburgueses durante a Segunda Guerra Mundial.  

Na altura, os judeus eram levados para o convento, internados em condições miseráveis antes de serem levados para campos de concentração. Estima-se que cerca de 230 pessoas terão passado por ali.

Situado perto de Troisvierges, vai agora transformar-se num centro "educacional e comemorativo", confirmaram em resposta parlamentar o primeiro-ministro, Xavier Bettel e o ministro das Finanças, Pierre Gramegna. O objetivo é "educar e sensibilizar" para as perseguições de que tem sido alvo a população judia luxemburguesa, mas também "promover a luta contra o antissemitismo e o racismo", detalharam os ministros. 

O antigo convento foi comprado pelo Estado por cerca de 7,9 milhões de euros. As obras de remodelação poderão chegar aos 17,6 milhões de euros, adianta o Wort, mas o plano de construção é ainda inexistente.


Os portugueses que lutaram para libertar o Luxemburgo dos nazis
Há 75 anos começava a escrever-se o derradeiro capítulo da II Guerra Mundial. Entre os soldados norte-americanos que enfrentaram a última investida do III Reich nas Ardenas havia milhares de soldados com nomes como Botelho, Encarnação, Gomes, Santos ou Silva. Rapazes de origem portuguesa, que deram o corpo e a vida pela libertação da região – e que a História foi votando ao esquecimento. Esta é a história deles.

Acordo para remendar o passado

No final de janeiro, o Governo luxemburguês e a comunidade judaica assinaram um acordo relativo às questões ainda não resolvidas relacionadas com as espoliações de bens judaicos durante o Holocausto. Do acordo faz parte a atribuição de um apoio direto aos sobreviventes do Holocausto no valor de um milhão de euros.


"Só quando morrer é que me vou livrar de Auschwitz”
Os sobreviventes do Holocausto querem relembrar histórias para não dar espaço ao antisemitismo.

Além deste financiamento, outras iniciativas estão previstas. Por exemplo, a Fundação Luxemburguesa para a Memória do Shoah beneficiará de um orçamento anual de 120.000 euros ao longo de um período de trinta anos. A Fundação terá ainda novas funções, nomeadamente o apoio ao património histórico judeu ligado à Segunda Guerra. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas