Escolha as suas informações

Concerto dos Resistência no Bataclan encerra festa da "lusodescendência" em Paris
Cultura 29.01.2017 Do nosso arquivo online
Artes

Concerto dos Resistência no Bataclan encerra festa da "lusodescendência" em Paris

Artes

Concerto dos Resistência no Bataclan encerra festa da "lusodescendência" em Paris

AFP
Cultura 29.01.2017 Do nosso arquivo online
Artes

Concerto dos Resistência no Bataclan encerra festa da "lusodescendência" em Paris

Os Resistência sobem hoje ao palco do Bataclan, em Paris, no âmbito do 25.º aniversário da associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan.

O grupo Resistência sobe hoje ao palco do Bataclan, em Paris, no âmbito do 25.º aniversário da associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan que organiza os "Primeiros Estados Gerais da Lusodescendência".

O concerto vai contar com uma homenagem às vítimas dos atentados de 13 de novembro de 2015, nomeadamente a Precilia Correia, que morreu no ataque ao Bataclan, e Manuel Dias, que morreu no ataque ao Stade de France, de acordo com o comunicado de imprensa enviado à agência Lusa.

São esperadas 1.700 pessoas para assistir ao espetáculo, segundo o comunicado, sendo a primeira parte assegurada pela cantora franco-angolana Lúcia de Carvalho e pelo lusodescendente Dani Selva, dois vencedores do Prémio Cap Magellan de melhor revelação artística 2016.

"Para encerrar um fim de semana que vai festejar a lusofonia e os 25 anos da associação, a Cap Magellan retoma os seus concertos históricos nas salas parisienses e escolheu, desta vez, o Bataclan, símbolo de resistência e de liberdade, para apresentar um dos maiores grupos da cena pop portuguesa: Resistência", indica o documento.

Além do concerto no Bataclan, a Cap Magellan debate, durante o fim de semana, o conceito de lusodescendência, na Maison du Portugal - André de Gouveia, sob o título "Primeiros Estados Gerais da Lusodescendência".

As sessões são dedicadas à "promoção da língua portuguesa", à "participação cidadã dos lusodescendentes" e à "promoção da cultura: exemplo do turismo e da memória", com o intuito de "criar uma rede nacional de pessoas ativas capazes de promover campanhas e organizar ações nacionais", para "tornar mais visível esta presença lusófona" em França.

A Cap Magellan foi fundada a 24 de novembro de 1991, em Paris, tendo sido "a primeira associação de jovens lusófonos e lusófilos" a trabalhar na promoção da língua portuguesa e da cultura lusófona.

A associação coorganiza, anualmente, a gala de aniversário da implantação da República em Portugal, na Câmara Municipal de Paris, organiza fóruns de emprego, concertos, campanhas de segurança rodoviárias para os emigrantes, campanhas de sensibilização para o voto, publicando, ainda, uma revista cultural "CAPMag" e atribuindo bolsas de estudo, entre outras atividades.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, disse hoje, em Paris, que os jovens lusodescendentes representam uma "oportunidade" para Portugal devido à "força, dinamismo e capacidade de inovação da juventude noutros territórios".
A festa portuguesa com a conquista do título nas ruas da capital
A banda Resistência atua em janeiro, em Paris, na sala Bataclan, no âmbito das celebrações dos 25 anos da associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan, disse à agência Lusa uma das suas dirigentes.
A associação de jovens luso-descendentes Cap Magellan e o vereador da Câmara de Paris Hermano Sanches Ruivo procuram dois jovens alegadamente de origem portuguesa que aparecem como desaparecidos na conta ‘twitter’ criada na sequência dos atentados de Paris.