Escolha as suas informações

Cinema: Novo filme de António-Pedro Vasconcelos vai ser rodado em Viseu
Depois de "Os gatos não têm vertigens", um dos filmes portugueses mais vistos de 2014, e que conquistou nove prémios Sophia, António-Pedro Vasconcelos inicia uma nova longa-metragem no centro histórico de Viseu

Cinema: Novo filme de António-Pedro Vasconcelos vai ser rodado em Viseu

Foto: Manuel Dias
Depois de "Os gatos não têm vertigens", um dos filmes portugueses mais vistos de 2014, e que conquistou nove prémios Sophia, António-Pedro Vasconcelos inicia uma nova longa-metragem no centro histórico de Viseu
Cultura 11.05.2015

Cinema: Novo filme de António-Pedro Vasconcelos vai ser rodado em Viseu

O centro histórico e um conjunto de locais emblemáticos da cidade de Viseu vão servir de palco à rodagem do novo filme do realizador António-Pedro Vasconcelos, disse hoje à agência Lusa fonte oficial da Câmara de Viseu.

De acordo com a fonte, Viseu "será palco e cenário de uma grande produção do cinema nacional", dando-lhe ainda "alma, história e conteúdo".

"A rodagem do filme passará pelo centro histórico de Viseu e por um conjunto de locais emblemáticos da cidade", acrescentou.

O novo filme de António-Pedro Vasconcelos - autor de êxitos de bilheteira como "Call Girl", "Jaime", "A Bela e o Paparazzo" e "Os Gatos não têm Vertigens" - vai ser produzido pela MGN Filmes/Tino Navarro.

Fonte oficial da Câmara de Viseu avançou ainda que a produção do filme espera poder contratar em Viseu alguns atores e um número significativo de figurantes.

Para o efeito, realiza-se na quarta-feira um casting aberto a todos os interessados.

"Também três estudantes ou profissionais locais terão a oportunidade de colaborarem com a equipa do filme, tendo assim acesso a uma experiência formativa única nos bastidores da produção", informou.

O município de Viseu "é o principal parceiro local da iniciativa, dando apoio à rodagem e à produção em Viseu, e promovendo um amplo envolvimento da comunidade".

"Vários parceiros locais e regionais serão também participantes, entre os quais a Visabeira, o Turismo do Centro e o Instituto Politécnico de Viseu", referiu.

Para o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, este filme é "uma oportunidade imperdível para Viseu, para a sua imagem e promoção e para o orgulho local".

"Será também uma oportunidade valiosa para muitos jovens interessados no cinema", concluiu.

António-Pedro Vasconcelos vai receber 600 mil euros do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), no âmbito de um dos concursos de 2014 de apoio a longas-metragens de ficção, foi anunciado no dia 07.

Depois de "Os gatos não têm vertigens", um dos filmes portugueses mais vistos de 2014, e que conquistou nove prémios Sophia, António-Pedro Vasconcelos inicia agora uma nova longa-metragem.

O filme tem ainda o título provisório de "Morrer por amor", tendo o realizador adiantado à Lusa, no dia 07, que o argumento é de Tiago Santos, colaborador dos seus filmes mais recentes.


Notícias relacionadas

Crítica de cinema: Devagar devagarinho
Há décadas que milito para que os portugueses do Luxemburgo possam ver cinema português no Grão-ducado. As obras portuguesas continuam a ser exceção nas salas e as raras oportunidades são as mostras organizadas por estruturas associativas ou pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo.
“A Canção de Lisboa” é um dos maiores êxitos de bilheteira de 2016. O filme será projetado no Luxemburgo no dia 15 de novembro.
Porto: Revisitar o Porto em 24 horas
Não é meu hábito falar pela segunda vez de um filme, mas a longa metragem assinada pelo brasileiro Gabe Klinger merece toda a atenção. “Porto” esteve no festival de cinema do Luxemburgo e merece agora honras de projeção regular nos cinemas Kinepolis.
Neste Porto ainda se pode fumar nos cafés...
Lux Film Fest: O cinema chegou à cidade
O Luxembourg City Film Festival – conhecido também pelo seu diminutivo Lux Film Fest – começa oficialmente esta quinta-feira, 2 de março, e encerra no dia 12 com a entrega dos prémios ao filmes em competição.
Um dos filmes portugueses presentes no Festival de Cinema da Cidade do
Luxemburgo é “Porto”, do realizador Gabe Klinger.
Quinzena do Cinema Português: O regresso do cinema de Portugal
A Quinzena de Cinema Português regressou ao Luxemburgo neste final de ano quando já se podia pensar que 2016 não ia ter a já habitual mostra de cinema luso. Ainda antes do ano terminar, o Centro Cultural e a Embaixada conseguiram por de pé uma seleção de sete longas metragens que representam bem o cinema que se foi fazendo “lá em baixo” nos últimos tempos.
Cristèle Alves Meira, realizadora luso-descendente, apresenta duas crutas metragens no dia 15 de dezembro no Instituto Camões.