Escolha as suas informações

Cinema. Duas coproduções luxemburguesas na Berlinale
Cultura 2 min. 30.01.2020

Cinema. Duas coproduções luxemburguesas na Berlinale

Cinema. Duas coproduções luxemburguesas na Berlinale

Foto: Divulgação
Cultura 2 min. 30.01.2020

Cinema. Duas coproduções luxemburguesas na Berlinale

Vanessa CASTANHEIRA
Vanessa CASTANHEIRA
As histórias de Maryam, que matou o marido e foi condenada à morte, e a de Jeanne, jovem, fechada no seu mundo, que se apaixona por um carrossel, em comum apenas têm o facto de terem carimbo luxemburguês.

Dois filmes luxemburgueses foram selecionados para a Berlinale, um dos festivais de cinema mais conceituados, em que todos querem um Leão d’Ouro. As histórias de Maryam, que matou o marido e foi condenada à morte, e a de Jeanne, jovem, fechada no seu mundo, que se apaixona por um carrossel, em comum apenas têm o facto de terem carimbo luxemburguês.

O filme "Yara, a Night for Forgiveness" do realizador iraniano Massoud Bakshi, vencedor de dois Óscares na categoria de Melhor Filme Estrangeiro com "Separação" e "Apartamento", baseia-se numa premissa real no Irão. Maryam mata o marido e é condenada à morte, mas se for perdoada por familiares da vítima, pode ter uma pena mais leve. "Yara" centra-se num programa da televisão iraniana, que no filme se chama "A Night for Forgiveness" (Uma Noite para o Perdão, em português) que coloca frente a frente o agressor e os familiares da vitima. Esta é uma história de perdão, de não violência, complexa e envolvente. Coproduzido pela produtora Amour Fou, "Yara, a Night for Forgiveness" mostra-nos uma cultura em que existe espaço para o perdão. 

"Yara, a Night for Forgiveness" baseia-se numa premissa real no Irão.
"Yara, a Night for Forgiveness" baseia-se numa premissa real no Irão.
Foto: Divulgação

"Jumbo" é o primeiro filme realizado por Zoé Wittock e retrata a vida de Jeanne, uma jovem tímida, e descrita pela mãe como "especial" e que atira o espetador para o autismo da personagem pessoal. Pressionada pela mãe, uma mulher extrovertida, para arranjar um namorado, Jeanne vai desenvolver um estranho fascínio com Jumbo, um carrossel do parque de diversões onde trabalha. Jeanne acaba por se apixonar e relacionar sexualmente com Jumbo. É também uma história envolvente que chama a atenção do espetador para o autismo. "Jumbo" é inspirado na história de Erika Eiffel, que se casou com a torre Eiffel em 2008. "Jumbo" conta com a participação de Tracy Dossou no papel de Fati e de Jonathan Bartholmé que interpreta Skinny Boy, dois atores luxemburgueses.

Estes dois filmes, que recebeream apoios do Film Fund Luxembourg, são fruto do Eurimages, o programa europeu de coprodução de cinema entre países membros da União Europeia. Além da nomeação para na categoria Generation 14plus – que premeia os filmes dramáticos –, na 70ª edição da Berlinale, que decorre de 20 de fevereiro a 1 de março, "Yara, a Night for Forgiveness" e "Jumbo" foram também selecionados para o Sundance Film Festival, nos Estados Unidos, que decorre até 2 de fevereiro.


Notícias relacionadas