Escolha as suas informações

Chama-se Cesarovna e vai cantar morna em Ettelbruck
Solange Cesarovna.

Chama-se Cesarovna e vai cantar morna em Ettelbruck

Foto: Promo
Solange Cesarovna.
Cultura 1 2 min. 12.07.2018

Chama-se Cesarovna e vai cantar morna em Ettelbruck

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O nome tem a mesma raiz etimológica da rainha da morna “Cesária” Évora. Também canta morna, mas nasceu a 800 quilómetros de Moscovo, na cidade onde nasceu Lenine, e que ocupa as duas margens do rio Volga, Ulianovsk.

Filha de pai cabo-verdiano e mãe russa, Solange Cesarovna vai atuar pela primeira vez no Luxemburgo, esta sexta-feira no Hall du Deich, em Ettelbruck.

O pai fez parte do grande contingente de estudantes cabo-verdianos enviados para os países socialistas, logo após a independência de 5 de julho de 1975. A mãe é natural de uma cidade da região de Samara, que recebeu vários jogos neste mundial de futebol da Rússia. Os estudos juntaram os dois.

"É uma cidade universitária, que recebeu muitos cabo-verdianos, numa altura em que havia uma forte cooperação entre a ex-União Soviética e Cabo Verde no setor da educação. O meu pai foi estudar para lá. Esteve cerca de cinco anos. Foi lá que conheceu a minha mãe, foi lá que se casaram e foi lá onde eu nasci", conta Solange, que foi viver depois para Cabo Verde com dois anos.

Solange cresceu rodeada de cultura, ao som do violão do pai e da mãe, que se tornou também cabo-verdiana, dirigindo a revista Artiletra há 27 anos.

A cantora e compositora cresceu na música em São Vicente, cantando ao lado de Cesária Évora, formou-se em Artes Cinematográficas e canto no Rio de Janeiro, e voltou para Cabo Verde, a partir de onde gere os concertos, as gravações e a Sociedade Cabo-verdiana de Música. (a história pode ser lida na íntegra na próxima edição do jornal Contacto, de 18 de julho).

Solange Cesarovna.
Solange Cesarovna.
Foto: Promo

Sobre o concerto desta sexta-feira, faz parte do “Weekend Capverdien d’Ettelbruck” (13, 14 e 15 de julho) e vai servir para “promover a morna enquanto candidata a Património Imaterial da Humanidade”, de acordo com a associação Veteranos do Norte, que organiza o evento.

Considerada uma das atuais grandes intérpretes da música cabo-verdiana, Solange Cesarovna vai ser acompanhada em palco pelos músicos Toi Vieira, Erineu Monteiro, Roberto Matias, Anderson e Danilson.

O concerto vai ter lugar esta sexta-feira, a partir das 21h no Hall du Daich, em Ettelbruck. A primeira parte do concerto vai estar a cargo de Casimiro Rodrigues. A entrada custa 10 euros.

Para o programa de sábado, a entrada também custa 10 euros e para domingo cinco. Já o bilhete com o pacote que inclui os três dias custa 15 euros. Reservas e informações através do tel. 691 256 265.


Notícias relacionadas

Solange Cesarovna trouxe morna ao Luxemburgo
A cantora e compositora cabo-verdiana Solange Cesarovna deu esta sexta-feira o seu primeiro concerto no Luxemburgo. A noite foi dedicada à morna, género musical e dançante candidato a Património Imaterial da Humanidade.
Solange Cesarovna canta morna no Luxemburgo
O nome tem a mesma raiz etimológica da rainha da morna “Cesária” Évora. Também canta morna, mas nasceu a 800 quilómetros de Moscovo, na cidade que ocupa as duas margens do rio Volga, Ulianovsk. Filha de pai cabo-verdiano e mãe russa, Solange Cesarovna vai atuar pela primeira vez no Luxemburgo, no dia 13 de julho (uma sexta-feira).
Solange Cesarovna vai atuar pela primeira vez no Luxemburgo, no dia 13 de julho.
Candidatura à UNESCO. “Esperamos a consagração da morna”
O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde entregou, esta segunda-feira, na UNESCO, o dossier de candidatura do estilo musical “morna” a Património Imaterial da Humanidade. Para Abraão Vicente, o povo cabo-verdiano “merece esse reconhecimento”.
Mais do que um estilo musical, Cesária Évora ajudou a fazer da morna um símbolo nacional.