Escolha as suas informações

Cabo Verde. Candidatura do Tarrafal a Património da Unesco suspensa por falta de verbas
Cultura 07.12.2020

Cabo Verde. Candidatura do Tarrafal a Património da Unesco suspensa por falta de verbas

Prisão do Tarrafal

Cabo Verde. Candidatura do Tarrafal a Património da Unesco suspensa por falta de verbas

Prisão do Tarrafal
Foto: Wikipedia/Domínio Público
Cultura 07.12.2020

Cabo Verde. Candidatura do Tarrafal a Património da Unesco suspensa por falta de verbas

Cortes no Orçamento do Estado de 2021 para a pasta da Cultura ditam adiamento da candidatura. Mas projeto museográfico e reabilitação do campo, onde estiveram e morreram vários ativistas antifascistas, deverá começar a avançar.

A candidatura do campo do Tarrafal, o ex-campo de concentração que o Estado Novo mantinha na ilha de Santiago, em Cabo Verde, para deter e torturar presos políticos, foi suspensa devido à falta de verbas.

De acordo com a edição em português da RFI, o anúncio foi feito pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, na passada sexta-feira, 4 de dezembro. O político explicou que, devido à redução em cerca de um milhão de euros (112 mil contos na moeda cabo-verdiana) para a sua pasta, no Orçamento Geral do Estado de 2021, fica suspensa a apresentação do dossiê relativo à candidatura do campo do Tarrafal a Património da Humanidade da Unesco.

Apesar disso, o ministro adiantou que será concluída a "primeira fase que tem a ver com a reabilitação do espaço e a montagem no novo projeto museográfico, que será inaugurado em janeiro", segundo cita a RFI.


Lusofonia. Cabo Verde quer candidatura conjunta do Tarrafal a Património da Humanidade
Cabo Verde quer que a candidatura do campo de concentração do Tarrafal a Património da Humanidade seja conjunta com Angola e Portugal, envolvendo a Guiné-Bissau, anunciou hoje o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas.

Recorde-se que o Governo cabo-verdiano pretende construir no ex-campo de concentração do Tarrafal um memorial aos que estiveram ali presos durante o Estado Novo e pretende fazer um levantamento para apurar se ainda há restos mortais de antigos prisioneiros por transladar.

No passado mês de março, em declarações à Agência Lusa, Abraão Vicente recordou que os presos políticos que morreram no campo foram enterrados ao longo dos anos no cemitério municipal do Tarrafal, localidade que dá nome à prisão e que se situa no norte da ilha de Santiago.

“Estamos a confirmar se ainda temos algum corpo por transladar”, disse na altura, acrescentando que "a ideia final é construir um memorial a todos quantos aí perderam a vida ou por lá passaram”.

A RFI adianta ainda que devido aos cortes orçamentais do próximo ano também ficam suspensos os projetos das ilhas inscritas na lista indicativa da Unesco e os editais lançados anualmente pelo Governo para financiar projetos culturais de estruturas locais e ONG.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas