Escolha as suas informações

Baby(a)lone: Filme de Donato Rotunno vai representar o Grão-Ducado nos Óscares
Cultura 1 26.08.2015

Baby(a)lone: Filme de Donato Rotunno vai representar o Grão-Ducado nos Óscares

A comissão nacional de selecção para os Óscares escolheu o filme luxemburguês Baby(a)lone para representar o Grão-Ducado na 88.a edição dos prémios da Academia do Cinema, na categoria de Melhor Filme de língua estrangeira.

A comissão nacional de selecção para os Óscares escolheu o filme luxemburguês Baby(a)lone para representar o Grão-Ducado na 88.a edição dos prémios da Academia do Cinema, na categoria de Melhor Filme de língua estrangeira.

Realizado por Donato Rotunno, o filme, adaptado do romance Amok, do escritor luxemburguês Tullio Forgiarini, é uma co-produção entre a companhia luxemburguesa Iris Productions e o parceiro belga Iris Films.

A história conta a vida de dois adolescentes confrontados diariamente com drogas e violência, enquanto vão forjando a sua personalidade. O filme retrata a juventude actual e a pressão que os jovens enfrentam durante o crescimento.

Baby(a)lone foi apresentado na edição deste ano do Film Festival da cidade do Luxemburgo, e passou também no Film Festival de Bruxelas e no Film Festival Internacional de Estocolmo.

As nomeações para o melhor filme estrangeiro vão ser anunciadas a 14 de Janeiro de 2016.

Até agora, o Luxemburgo conta com um Óscar, atribuído a Laurent Witz e Alexandre Espigares em 2014, pelo filme de animação Mr Hublot, uma co-produção franco-luxemburguesa.


Notícias relacionadas

Luxemburgo apoia mostra de cinema alemão em Portugal
A Embaixada do Luxemburgo em Lisboa volta a apoiar a Kino – Mostra de Cinema de Expressão Alemã em Portugal. A 14ª edição da Mostra, apresenta em Lisboa, Porto e Coimbra, ente 19 de janeiro e 3 de fevereiro, as novíssimas produções cinematográficas da Alemanha, Áustria, Suíça e Luxemburgo.
"Die dunkle Seite des Mondes" (O lado obscuro da lua), o segundo filme do realizador germânico Stephan Rick, é uma adaptação do romance de Martin Suter, e é uma coprodução germano-luxemburguesa, com o apoio do Film Fund Luxembourg