Escolha as suas informações

Artista franco-luxemburguesa detida por performance em França
Em comunicado, os responsáveis do Santuário condenaram a intervenção artística da artista luxemburguesa

Artista franco-luxemburguesa detida por performance em França

Foto: AFP
Em comunicado, os responsáveis do Santuário condenaram a intervenção artística da artista luxemburguesa
Cultura 2 min. 02.09.2018

Artista franco-luxemburguesa detida por performance em França

A artista franco-luxemburguesa Deborah de Robertis foi detida no sábado por realizar uma performance artística, na qual ficou nua, junto ao Santuário de Lourdes, em França.

Com as suas performances de nudismo, Deborah de Robertis questiona o papel das mulheres na História e alega a liberdade artística para justificar as intervenções.

Desta vez a jovem luxemburguesa despiu-se junto a um local de peregrinação, o Santuário de Lourdes, em França, enquanto decorria uma procissão eucarística e colocou-se junto à imagem da santa padroeira.

Os fiéis chamaram a polícia, que deteve a artista de 34 anos e que agora enfrenta uma acusação de atentado ao pudor.

"As autoridades foram chamadas pelos crentes presentes [no Santuário de Lourdes] e detiveram a mulher por algumas horas", disse o procurador de Tarbes Pierre Aurignac  à agência francesa AFP.

Deborah de Robertis explicou que a intervenção era uma performance criativa e evocou a liberdade de expressão artística.

Segundo adiantou o procurador, a audiência está marcada para 19 de maio de 2019.

Também os responsáveis do Santuário enviaram um comunicado à impressa no qual adiantaram que apresentaram queixa contra a artista por esta "se ter apresentado completamente nua na gruta", local onde está a imagem da Santa "enquanto se celebrava uma procissão".

"Condenamos este ato de exibicionismo que chocou os fiéis presentes na gruta", lê-se no comunicado do Santuário, descrevendo-o ainda como "um ato premeditado justificado com a liberdade artística".

O Santuário ainda condenou a intervenção de Deborah de Robertis por "mostrar total desprezo pela religião e liberdade de culto" pedindo "respeito pelos locais sagrados e pelo direito à liberdade religiosa".

Segundo o semanário francês Journal du Dimanche, Déborah de Robertis agiu sozinha sem ajuda de terceiros. A artista despiu-se e colocou-se em frente à imagem da Santa com as mãos cruzadas e um véu azul a cobrir-lhe a cabeça.

Esta não é a primeira vez que a jovem é presente a tribunal. Em outubro de 2017, a feminista foi convocada por um tribunal de Paris por uma performance semelhante junto ao retrato "Mona Lisa" de Leonardo da Vinci, no Museu do Louvre. O Tribunal Criminal parisiense aceitou os argumentos apresentados pela defesa e considerou o ato como "uma intervenção artística" sem "ser intencional ou de cariz sexual".

Na altura, Deborah de Robertis alegou que a performance era uma forma de "questionar o papel das mulheres na História da Arte". 

Em 2014 e 2016, a luxemburguesa também foi a tribunal por intervenções semelhantes junto aos quadros "A origem do mundo" de Gustave Courbet e "L'Olympia" de Edouard Manet no Museu d'Orsay .

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.