Escolha as suas informações

Artefactos maias encontrados em cave alemã devolvidos ao México e Guatemala
Cultura 08.11.2021
História

Artefactos maias encontrados em cave alemã devolvidos ao México e Guatemala

História

Artefactos maias encontrados em cave alemã devolvidos ao México e Guatemala

Foto: AFP
Cultura 08.11.2021
História

Artefactos maias encontrados em cave alemã devolvidos ao México e Guatemala

Artefactos estiveram escondidos na cave de uma quinta na Saxónia-Anhalt. Detentor tinha adquirido os objetos na feira da ladra de Leipzig, em 2003.

A Alemanha devolveu na sexta-feira uma coleção de antigos artefactos maias à Guatemala e ao México depois da polícia os ter encontrado escondidos na cave de uma quinta no estado da Saxónia-Anhalt, no ano passado. 

Os 13 objetos incluem vasos, estatuetas e placas e datam entre 250 e 850 d.C., anunciou o governo regional da Saxónia-Anhalt, citado pela AFP. O primeiro-ministro estadual Reiner Haseloff entregou os objetos ao embaixador da Guatemala, Jorge Lemcke Arevalo, e ao embaixador do México, Francisco Quiroga, numa cerimónia realizada em Berlim na sexta-feira. 

Os objetos históricos, descobertos em 2020 no estado da Saxónia-Anhalt, incluem figuras, pratos e taças que datam entre 250 e 850 d.C. O proprietário comprou-os numa feira da ladra em Leipzig em 2003, sem saber de onde vieram.
Os objetos históricos, descobertos em 2020 no estado da Saxónia-Anhalt, incluem figuras, pratos e taças que datam entre 250 e 850 d.C. O proprietário comprou-os numa feira da ladra em Leipzig em 2003, sem saber de onde vieram.
Foto: AFP

Onze dos objetos foram produzidos no território hoje conhecido como Guatemala, mas também incluem duas figuras de Teotihuacan, a maior cidade do México central pré-Asteca, situada a cerca de 40 quilómetros da Cidade do México. 


Investigadores podem ter descoberto no Côa o maior painel de arte rupestre ao ar livre
Uma equipa multidisciplinar acredita ter colocado a descoberto um dos maiores painéis de arte rupestre ao ar livre, com cerca de 10 metros de comprimento, no sítio da Fariseu, no Vale do Côa, com a descida do caudal do rio.

"Isto dá-nos esperança que outros proprietários de peças semelhantes em coleções privadas sigam o mesmo caminho" de as devolver, disse Arevalo, embaixador da Guatemala, numa conferência de imprensa. O embaixador do México, Francisco Quiroga, considerou que o gesto alemão representou um "excelente exemplo". 

Cerimónia de entrega dos artefactos em Berlim, a 5 de novembro de 2021.
Cerimónia de entrega dos artefactos em Berlim, a 5 de novembro de 2021.
AFP

"O comércio ilegal de objetos culturais deve ser travado e combatido", disse Haseloff, acrescentando que a devolução se destinava a aumentar a consciencialização. "Os objetos pilhados ou roubados de antigas colónias podem ser encontrados não só em museus, mas também nas nossas caves ou sótãos", considerou Haseloff. 

Foto: AFP

Segundo a AFP, o anterior proprietário da quinta tinha enterrado os tesouros maias numa caixa em 2007, juntamente com duas espingardas da Segunda Guerra Mundial que tinham pertencido ao seu avô. Em 2020 o homem contactou a polícia para confessar que estava na posse de armas ilegais e que não queria infringir a lei. Além das armas a polícia descobriu os objetos embrulhados em jornal. Na altura, o proprietário afirmou ter comprado os objetos numa feira da ladra em Leipzig em 2003, afirmando não ter conhecimento da proveniência dos objetos ou do seu real valor. 

De acordo com as autoridades da Saxónia-Anhalt citados pela AFP, os objetos foram provavelmente roubados por ladrões de sepulturas na Guatemala e no México antes de serem vendidos no mercado negro.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.