Escolha as suas informações

Aline Frazão: "Bolsonaro é altamente violento e despreparado"
Cultura 3 min. 12.10.2018 Do nosso arquivo online

Aline Frazão: "Bolsonaro é altamente violento e despreparado"

Aline Frazão: "Bolsonaro é altamente violento e despreparado"

Foto: DR
Cultura 3 min. 12.10.2018 Do nosso arquivo online

Aline Frazão: "Bolsonaro é altamente violento e despreparado"

Vanessa CASTANHEIRA
Vanessa CASTANHEIRA
O Contacto conversou com Aline Frazão, a compositora e cantora angolana, horas antes de atuar na segunda noite do festival Atlântico, na Philharmonie. Brasil, Angola e música foram alguns dos temas da conversa.

A afirmação da jovem de 30 anos não é por falta de conhecimento, tão pouco por distanciamento ou pelo que leu na imprensa. Aline Frazão gravou o seu quarto e último trabalho de estúdio Dentro da chuva no início deste ano no Rio de Janeiro, no Brasil. Acompanhou de perto a situação que culminou com a vitória na primeira volta de Jair Bolsonaro com 46,06% dos votos, contra 29,24% de Fernando Haddad do PT, no passado dia 7 de outubro.

No início do ano, Aline Frazão garantiu que "já se sentia tensão e uma grande distância entre dois polos ideológicos". De um lado estavam pessoas que apoiavam o partido de Lula e do outro lado da barricada encontravam-se brasileiros que queriam um corte radical com a política brasileira. "Houve uma escalada de violência, um tempo sombrio com Bolsonaro a basear a sua campanha de forma ideológica e irracional, que não considero legítima por ter distorcido os factos", adiantando ainda que "ele ganhou uma legitimidade ilegítima, pelo menos para mim, e levou também milhões a distorcerem os factos". Para a cantora, Bolsonaro defende "o homem branco e evangélico, mas o povo brasileiro são também negros e mulheres".

Contudo, não é apenas sobre a situação brasileira que a jovem angolana de 30 anos tem uma voz ativa. Entre 2014 e 2016 foi cronista do jornal angolano Rede Angola e é ativista sobre a igualdade e direitos da mulher. A viver em Luanda, Aline Frazão olha para o futuro do país com "esperança" com a recente viragem na política do país com a presidência de João Lourenço. 

"Há uma mudança de cara, uma mexida de areias e uma aposta no combate há corrupção" e dá o exemplo a prisão preventiva de José Filomeno dos Santos "Zenú", filho do ex-presidente José Eduardo dos Santos. "Há mais transparência, mas há ainda uma falha muito grande nas políticas sociais angolanas que ainda não estão em agenda", lamentou. "Há uma grande expectativa em João Lourenço", concluiu sobre o assunto.

Aline, a artista

Aline Frazão mostra ser uma mulher madura, com retórica e que se aplica no seu trabalho. 

Vejamos: com 30 anos tem quatro álbuns lançados, tem uma carreira com reconhecimento internacional e permite-se a novas experiências musicais de cada vez que entra em estúdio. Da última vez que tocou no Luxemburgo, no encerramento do Printemps Musical em 2016, trouxe Insular, um disco mais ritmado, onde tocava guitarra elétrica e que lhe deu uma liberdade absoluta. Desta vez trouxe Dentro da Chuva, um disco acústico, que também pode ser tocado a solo. Explicou que esta personalidade musical camaleónica se deve a não se querer afirmar com um único estilo. "Sou curiosa e inquieta", garantiu para explicar a dualidade - ao mesmo tempo tão fiel - do seu trabalho.

"Peit ta segura", o primeiro single de Dentro da Chuva é cantado em crioulo de Cabo Verde e reflete o minimalismo e simplicidade que a cantora - autora de quase todos os temas - procurou para este trabalho. Aliás, Aline Frazão garantiu que a gravação no Brasil se deveu mesmo "às influências musicais brasileiras e à cultura musical do país com o violão".

Aline Frazão, a cantora e compositora, é uma influência de jazz, mpb, semba, morna e jazz. Durante a conversa com o Contacto garantiu que também se aventurou pelo fado. A expressividade conhecida de quem a conhece em palco foi buscar ao ballet clássico e contemporâneo. Há subtileza da dança e do corpo na sua música. "Less is more" ou como a própria confidenciou "mais é menos" sobre a sua música em geral e Dentro da Chuva em particular.

E o que é Dentro da Chuva? "É uma prosa de Ruy Duarte de Carvalho [autor angolano] que virou poesia e que significa a fusão do tempo, da existência, da natureza e que por si, significa unidade."

Esta foi a terceira vez que a cantora tocou no Luxemburgo. Nesta terceira visita ao país, atuou na Philharmonie, no quadro do Atlântico, o festival dedicado à música lusófona, que ainda recebe o jazz de João Barradas, Tito Paris com Sara Tavares no próximo sábado e que termina no domingo com a Cristina Branco.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.