Escolha as suas informações

Realizadora luxemburguesa apresenta documentário sobre peregrinação a Wiltz
Cultura 3 min. 14.12.2016 Do nosso arquivo online
"A Maratona da Fé"

Realizadora luxemburguesa apresenta documentário sobre peregrinação a Wiltz

Geneviève Mersch acompanhou duas peregrinas portuguesas na sua caminhada de fé e devoção até ao santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz.
"A Maratona da Fé"

Realizadora luxemburguesa apresenta documentário sobre peregrinação a Wiltz

Geneviève Mersch acompanhou duas peregrinas portuguesas na sua caminhada de fé e devoção até ao santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz.
Foto: Manuel Dias
Cultura 3 min. 14.12.2016 Do nosso arquivo online
"A Maratona da Fé"

Realizadora luxemburguesa apresenta documentário sobre peregrinação a Wiltz

O documentário “Le marathon de la foi” (A Maratona da Fé) sobre a peregrinação ao santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz e realizado pela luxemburguesa Geneviève Mersch, estreou no domingo. A exibição aconteceu em simultâneo no canal RTL Télé Lëtzebuerg e no centro cultural Rotondes, em Bonnevoie.

O documentário “Le marathon de la foi” (A Maratona da Fé) sobre a peregrinação ao santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz e realizado pela luxemburguesa Geneviève Mersch, estreou no domingo. A exibição aconteceu em simultâneo no canal RTL Télé Lëtzebuerg e no centro cultural Rotondes, em Bonnevoie.

A peregrinação ao santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz foi alvo de um documentário que constitui o sexto episódio da segunda temporada da série documental luxemburguesa “Routwäissgro”.

A realizadora luxemburguesa Geneviève Mersch foi escolhida para dirigir um dos episódios da série. Formada no IAD, na Bélgica, a realizadora nascida em 1963 realizou vários documentários – “Le Pont Rouge”, “Roger”, “Sentimental Journey”, “Iwwer an eriwwer” e “Plein d’essence” – diversas curtas-metragens de ficção (“John” e “Verrouillage central”) e uma longa-metragem, “J’ai toujours voulu être une sainte”, selecionada para representar o Luxemburgo nos Óscares de 2004 (na corrida ao melhor filme estrangeiro).

No episódio documental “Le marathon de la foi” Geneviève Mersch optou por acompanhar os peregrinos que todos os anos em Maio visitam o santuário de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz, seguindo os passos de duas portuguesas, Maria Dulcina e Dulce.

Todos os anos, já lá vão vinte, Dulce e os seus companheiros portugueses palmilham, em dois dias, os cerca de 60 km que separam a cidade do Luxemburgo de Wiltz, na peregrinação ao santuário “Op Bäessent”. A realizadora entra na vida de Dulce mostrando-a enquanto trabalha, na intimidade da sua casa, enquanto prepara a viagem que vai fazer, em conversa com o filho e com os outros peregrinos. Somos levados a vislumbrar o que a leva a percorrer o caminho que a fé em Nossa Senhora de Fátima lhe indica. Um caminho simultaneamente pessoal e coletivo, uma necessidade emocional e íntima (presa às promessas, às crenças, às desventuras, e às alegrias de cada um), e um hábito social de conforto e de celebração comunitária.

Routwäissgro

A série “Routwäissgro” resulta de um projeto criado por uma equipa de 13 realizadores independentes do Luxemburgo, o Kollektiv 13, no âmbito de um concurso lançado pelo Film Fund Luxembourg e pela RTL em 2014. Este coletivo, de que fazem parte, entre outros, os realizadores de “Eldorado” Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson, assim como Yann Tonnar, com quem falámos, foi fundado com base num guião de dez pontos, a seguir na realização dos documentários promovidos pelo grupo: realismo, ausência de entrevistas, ausência de voz off, ausência de música, uma personagem nuclear, inscrição na realidade sócio-cultural luxemburguesa, entre outros.

O manifesto do Kollektiv 13 inspira-se assim simultaneamente na famosa série documental “Strip-tease” (criada em 1985 para a televisão belga RTBF 1), que abolia o comentador e dava voz aos protagonistas na sua vida de todos os dias, e no Dogma 95 de Thomas Vinterberg e Lars von Trier para um cinema mais realista e menos comercial. O objetivo dos criadores de “Routwäissgro” (literalmente “Vermelho branco cinzento”, as cores da bandeira luxemburguesa, mas em que o cinzento substitui o azul) é propor documentários realizados por diversos cineastas (os do coletivo e alguns convidados, como no caso de Geneviève Mersch) onde o espetador possa libertar-se do discurso direto do autor e fazer a sua própria imagem da realidade prismática do Luxemburgo e dos seus habitantes. O primeiro episódio de “Routwäissgro” foi para o ar a 1 de março de 2015 e desde então que a série – que já seguiu as vidas e as aventuras mais íntimas de dezenas de habitantes do Grão-Ducado, representativos de uma realidade social, cultural, económica e linguística extremamente diversificada e rica – entra, uma vez por mês ao domingo (dois episódios, às 18h30 e às 19h), nas casas do Luxemburgo. Os episódios da série “Routwäissgro”, legendados em francês, estão disponíveis no site da RTL. 

Sara Ferreira

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O filme “A Maratona da Fé” (‘De Marathon vum Glawen’, título original), da realizadora luxemburguesa Geneviève Mersch, vai estar em exibição no próximo domingo, dia 11 de dezembro, às 19:00, no Espaço Rotondes, em Bonnevoie, na capital do país.