Change Edition

As Assistentes Parentais no Luxemburgo tem uma associacçao de apoio

Domingo, 8 de maio, 2016 a Associaçao DAGESELTEREN NETWORK ASBL realizou a segunda reunião para assistentes parentais no país. Desta vez, em Esch -sur- Alzette, no salão do Clube d’Echecs esch Rochade-Reine. A Associaçao esteve representada pela presidente Stella Falkenberg, a secretaria Arlette Kayser e o tesoureiro Guy Hengel ,os pontos da ordem do dia foram muitos, todos eles relacionados com as Assistantes Parentais.
Ao lado de certos pontos administrativos, ha um particular a meter em evidencia que é a situaçao precària das Assistantes Parentais no sul. Existe uma certa concurrencia que se esta a formar, que nao é especialmente entre as Assistantes Parentais, mas sim uma situaçao do resultado da igualdade para os pais mas sim do resultado da subvençao Cheque Service Accueil. Como na regiao do sul, segundo as explicaçoes e experiencia das AP que trabalham nesta regiao, a maior parte dos pais sao do ponto de vista social, sao carenciados e obrigados a trabalhar a dois para poderem viver. Com a incapacidade de pagar as tarifas para guardadrem os filhos, as AP sao quase obrigadas a alinhar a sua tarifa horaria ao montante da subvençao estatica, que esta esta limitada a 3,50 euros, se os pais escolhem uma AP (comparado a 6,00 euros para as creches, ate Setembro 2016, mesmo a 7,50 euros para uma uma “maison relais”). A tarifa aplicada varia entre 3,50 euros e 4,00 euros, comparando o preço à hora de uma operaria de limpeza (à volta de 12,50 euros o minimo).
Aparentemente os pais praticam nesta regiao ao dia a dia uma pressao massiva contra as AP para nao terem de pagar a parte que resta para a guarda das crianças. Existem ainda pais que fazem algumas visitas para verificar qual das AP pede menos à hora (sem mesmo ver a qualidade dos serviços prestados). Se por exemplo uma AP pede 4,- euros à hora, existe entao o argumento que nao muito longe existe outra que leva a 3,50 euros.
O resultado é muito claro: as AP sao forçadas a diminuir o preço para ter trabalho. Com muitas certezas estamos conscientes que esta forma nao é a mais adequada porque ha um grande impacto na estrutura social no pais mas concerteza o impacto maior é sobretudo na qualidade da guarda das crianças. O trabalho das AP tem uma imagem negativa, mesmo para aqueles que nao sao do mesmo sector se sente esta imagem, tambem existe a versao que muitas das AP guardam mais crianças que a licença permite. O numero maximo de crianças sao de 5 ao mesmo tempo, este numero depende da superficie da casa ou apartamento, o ministerio pode resolver a dar menos que as 5 crianças.
A Associaçao nao quer acusar nem julgar as AP nesta situaçao, mas quer sim ajudar a encontrar a soluçao a estes problemas, repetimos ainda que o facto que a suvençao do ministerio para o cheque service à qual os pais tem de fazer diferença entre a escolha de uma AP de uma creche ou de uma “maison relais”. Porque é que os pais tem de fazer esta escolha, os pais deveriam sim fazer a escolha ondem querem os filhos no dia a dia e onde passam a maior parte do tempo, entre uma AP num ambiente familial com poucas crianças (maximo 5) ou numa creche /”maison relais” com mais de 20.
Evidentemente podiamos dizer que aqueles pais que querem pagar menos deviam deixar os filhos nas creches ou “maison relais”, mas para isso é preciso esta infrastuturas terem lugares disponiveis e horarios flexiveis como as AP, em muitas partes do pais nao é o caso e os pais sao mesmo obrigados à alternativa do sector privado que é ainda mais caro para eles.
Porque que é assim ??? Porque nao existe igualdade na suvençao da parte do Cheque Service Accueil!!! Se por exemplo o pagamento fosse igual entre as infastruturas e as AP seria tudo muito mais simples e correcto e a escolha dos pais seria libre e mais favoravel e adaptada às suas necessidades. As AP teriam entao o preço de 6,00 euros à hora e tudo seria mais facil com as despesas e aumentar tambem a qualidade da guarda e de nao aumentar a guarda maxima de 5 crianças ao mesmo tempo, assim as AP nao sao forçadas a ir pelo caminho da ilegalidade e os problemas sociais poderiam desaparecer.
As entidades politicas responsaveis nao veem esta realidade e os pais continuam a fazer muita pressao e as AP serao obrigadas a seguir este ritmo, muitas das AP que devem fazer face à concurrencia umas contra as outras, recusa um pedido de guarda porque 3,50 euros à hora nao chega para combater as despesas mensuais, a pressao desta concurrencia é tanta que muitas entre elas que so guardam 2 e 3 crianças tem de combater para conseguir continuar.
O argumento das entidades responsaveis é que as AP tem menos despesas que as outras infastruturas, nos nao somos de acordo, porque na realidade temos de ter quase tudo na igualdade (segurança no local, superfie suficiente, material, zona de dormir, zona de recreio, zona de deveres da escola, zona de refeiçoes e higiene e etc....) a unica diferença é que uma AP tem de pagar tudo sozinha e estas infastruturas tem a ajuda do estado.
Concluindo podemos dizer que a Associaçao vai levar tudo muito a sério, e vai levar a cabo uma comunicaçao entre as AP, o Ministério e ainda a Agencia Dageselteren.
A associaçao abriu uma pagina facebook dedicada às AP onde podem exprimir todas as situaçoes em varias linguas (alemao, françes, espanhol, portugues, luxemburguês) vai ter sempre alguem disponivel para a traducçao, resumindo esta pagina estara à disposiçao 24h/24h, en caso de urgencia relacionado com acidentes de trabalho, ou outras questoes podemos responder mais rapido e exacto, e os membros do grupo(neste momento com 140 membros) podem dar uma resposta pelas suas experiencias.
A dar seguimento às nossas reunioes de informaçao temos a proxima no domingo 5 de Junho de 15h às 17h na Associaçao de Pais dos Alunos da Escola Portuguesa na rua Michel Welter n.-1 L-9089 Ettelbruck
A Associaçao DAGESELTEREN NETWORK ASBL, convida nao so as AP mas tambem os pais, representantes do Ministerio, da Agencia Dageselteren, jornalistas e politicos a participar. Todos os cidadoes sao benvindos para se informar sobre o nosso trabalho!!!

tradução de Rosa Jesus-Oliveira